57% das empresas brasileiras devem aumentar equipes de trabalho

Data 02/02/2011

 

Pesquisa indica que planos de remuneração com base no desempenho serão a principal pauta das companhias nacionais em 201.

O crescimento econômico do Brasil demanda aumento no número de contratações e políticas de melhoria salarial para os colaboradores. Um retrato desse cenário é uma pesquisa encomendada pela consultoria Regus: 37% das empresas nacionais devem adotar sistema de remuneração com base no desempenho, número ligeiramente superior à media mundial, de 36%.

Apesar de ser mais comum em equipes de vendas, o sistema de remuneração com base no desempenho também pode ser vantajoso em outras funções. Se os empregadores conseguirem estabelecer um sistema de medição do desempenho global e/ou individual adequado, este tipo de remuneração podem ser aplicado às áreas de produção, atendimento ao cliente e administração. De uma forma geral, os trabalhadores aceitam bem os sistemas de medição e recompensa do desempenho, desde que os sistemas em questão sejam justos.

Mais colaboradores

As empresas, tanto no Brasil como no exterior, planejam ampliar as suas equipes em 2011. O estudo concluiu que 57% das empresas brasileiras planejam aumentar as suas equipes em 2011, superior à média global de 45%.

Segundo Juliana Nascimento, diretora-geral da Regus no Brasil, as companhias estão cientes da necessidade e da importância do capital humano, fator que está levando a um aumento nas contratações. "Principalmente nas pequenas e médias empresas, um novo colaborador pode transformar as receitas e a rentabilidade da empresa com o seu dinamismo – seja através da reorganização das vendas e do marketing, do estabelecimento de novos vínculos comerciais, da apresentação de ideias ou da melhoria de processos", afirma a diretora.

Novas modalidades de trabalho, com horários e locais flexíveis também já estão sendo bem vistos como instrumentos que podem melhorar o rendimento do colaborador e incrementar os resultados da empresa. Apesar disso, a pesquisa constata que 54% das empresas pretendem ampliar as instalações e apenas 28% devem reduzir as despesas. Na pesquisa global, somente 31% das empresas planeja aumentar o seu espaço de trabalho.

"As duas resoluções parecem contraditórias, mas não têm necessariamente de o ser. Numa abordagem das infraestruturas e dos imóveis orientada para o futuro, é possível cumprir ambas", explica Juliana.

Essa notícia foi publicada no Administradores em 31/01/11.