86,23% das empresas não percebem diferença salarial entre homens e mulheres

Data 18/09/2012

Uma pesquisa realizada pelo Guia Salarial da HAYS e o Centro de Pesquisas em Estratégia do Insper, avaliou que em 86,23% das empresas entrevistadas não percebem nenhuma diferença salarial entre homens e mulheres, embora apenas 17,51% delas fazem algum tipo de monitoramento sobre o assunto.

"Esse resultado, confirmando outros estudos à disposição no mercado, mostra que as companhias acreditam que não há uma discrepância entre os gêneros nas empresas, por esse motivo não investem no acompanhamento do tema", diz a professora do Insper, Regina Madalozzo.

Outro dado importante é sobre a necessidade de um comportamento mais igualitário entre homens e mulheres em outros aspectos além do salarial. "Uma percepção geral é de que a presença da mulher é mais importante do que a do homem na família, dado confirmado pela legislação brasileira, que privilegia a licença-maternidade em relação à licença-paternidade", diz Regina. A pesquisa informa que 52,09% delas não têm nenhuma forma de licença parental opcional (termo usado genericamente para licenças que são possíveis para mães e pais de bebês recém-nascidos; elas podem ser especificamente para a mãe, ou para o pai, ou para ambos) e as que oferecem essa opção aos seus funcionários, apenas, 21,23% o fazem tanto para homens quanto para mulheres.


*Essa notícia foi publicada no site Administradores, em 13/09/2012