As maneiras de se construir um líder no trabalho

Data 08/09/2010

 

O que torna uma pessoa líder? A competência em gerir questões delicadas, as ambições profissionais ou a seriedade em lidar com qualquer tipo de situação?

“O conceito de liderança, por ser extremamente amplo e abrangente, comporta as mais variadas leituras e análises, ou seja, lideranças situacional, gerencial, social, participativa, etc.", afirma o vice-presidente da consultoria Thomas Brasil, Edson Rodriguez.

Segundo ele, existem aspectos, como os citados acima, que são comuns à maioria dos líderes, pois estão interligados a sua imagem e as suas ações transmitidas.

Com a finalidade de entender o que as pessoas enxergam em um líder, Rodrigues desenvolveu seis tópicos baseados na sistemática da liderança corporativa.

Vamos segui-lo!

Os três primeiros pontos desse perfil consistem em visualizar os aspectos embutidos no profissional de comando. São eles:

  • Competência no que faz: um líder precisa ser competente na sua área. Isso não quer dizer que ele tem de ser o melhor operador ou o melhor vendedor… Mas tem de ter visão ampla da área, passar confiança de que conhece a operação tanto no específico como no contexto geral;
  • Ambição positiva: um líder quer mais, busca mais e as pessoas querem ir atrás. Portanto, líderes devem buscar seu crescimento e o de sua equipe;
  • Seriedade pessoal e profissional: líderes devem dar exemplo de seriedade, honestidade e transparência de princípios, tanto na vida profissional como na social. As pessoas acompanham o que acontece com seus líderes e sabem o que se passa na vida deles muito mais do que se imagina. Existe uma autoridade moral a ser conquistada e mantida e isso passa seguramente por esse item.
  • "Um ponto adicional que pode ajudar os candidatos a líderes: é extremamente importante que possam avaliar seus perfis comportamentais de modo a terem uma boa ideia de como são vistos, quais seus pontos fortes e os suscetíveis de desenvolvimento", explica Rodriguez.

Esse processo, avalia, funciona como uma espécie de autoconhecimento e parte fundamental do processo da liderança, porque os líderes normalmente sabem e controlam a imagem que transmitem.

Moldando o ambiente

Soma-se a esse estudo de perfil, as aparências que o líder transmite a sua volta, afinal, não foi à toa que esse profissional conquistou a confiança dos demais funcionários. Confira:

  • Crença no que ele diz e faz: um líder passa confiança em seus atos e suas palavras, na medida em que põe em prática o que diz. Se ele é competente, ambicioso e sério, irá transmitir essa crença;
  • Direção: mesmo quando não está dando ordens diretamente, um líder está transmitindo direção, ele é o timoneiro e as pessoas vão segui-lo, fazer as coisas que irão se encaixar direta ou indiretamente nos planos gerais e isso muitas vezes é até inconsciente nos indivíduos;
  • Esperança de melhoria: é o conceito do "estou com ele, estou bem…". Bons líderes transmitem uma sensação de conforto, segurança, aliada sempre a uma expectativa até inconsciente de que as coisas irão melhorar.

Rodriguez diz que um verdadeiro líder acredita nesses aspectos e os utiliza de modo com que as pessoas a sua volta o identifiquem. "A artificialidade e a superficialidade nessas práticas podem dar margem a uma interpretação de falsidade e arrogância, e isso não é nada bom se queremos cultivar uma imagem de liderança".

O especialista chama a atenção para um ponto no qual muitos profissionais acabam por não dar a devida atenção: paciência. O reconhecimento é uma consequência, o que significa tempo e maturidade na construção dessa condição assumida.

Essa notícia foi publicada na Info Money, em 07/09/10.