Benefícios para funcionárias gestantes e em período pós-gestacional

Data 04/12/2012

A primeira edição da Pesquisa de Benefícios Especiais para Mulheres desenvolvida pela Towers Watson, identifica a movimentação que as empresas estão fazendo para se adaptar à nova realidade do mercado de trabalho brasileiro, no qual as mulheres já são mais de 53%, segundo levantamento do IBGE. Das 120 empresas respondentes, 33% oferecem horário flexível após o período da licença maternidade e 16%, a possibilidade de home office para a funcionária durante e após o período gestacional. A Towers Watson é líder global em serviços profissionais que auxiliam as organizações a melhorar seu desempenho no gerenciamento de pessoas, riscos e finanças.

Em relação à adoção pelas empresas dos seis meses de licença maternidade, apesar de ser facultativo, 44% das companhias já aderiram. Postos de atendimento ou serviços de apoio à gestante, com acompanhamento ginecológico e psicológico, entre outros, são oferecidos por 22% das empresas consultadas. Dieta balanceada durante o período gestacional é oferecida por 18% dos empregadores.

Quanto aos programas de prevenção de doenças específicas do universo feminino, 37,6% das empresas oferece algum tipo de palestra ou acompanhamento. Em contrapartida, o auxílio creche foi incorporado por 84% delas. Apesar de as empresas ainda estarem se estruturando para receber os filhos das funcionárias, 32% elevam o limite de idade de elegibilidade do benefício às crianças acima de três anos, mas apenas 8% dos empregadores oferecem berçário ou lactário em suas instalações.

Das 120 empresas consultadas, 18% isentam a coparticipação da funcionária nos planos de saúde durante o período pré-natal e 60% oferecem convênio ou algum tipo de subsídio para planos de condicionamento físico.

Sobre o Estudo – A 1ª edição da Pesquisa de Benefícios Especiais para Mulheres conduzida pela Towers Watson foi realizada no mês de agosto e teve a participação de 120 empresas de diversos setores da indústria. Mais de 70% das empresas estão baseadas em São Paulo e 42% têm até 500 funcionários.
 


*Essa notícia foi publicada no site RH.com.br, em 29/11/2012