Bom comportamento vale tanto quanto bom currículo

Data 09/03/2017
bom relacionamento no trabalho

bom relacionamento no trabalho

*Por Heloísa Capelas

Seja em casa ou no trabalho, a vida é construída a partir das relações, por isso, quando pensamos em uma empresa, mais do que competência técnica e talento, é fundamental que as pessoas saibam se relacionar e tenham inteligência emocional. Recentemente, uma pesquisa da consultoria Robert Half apontou o relacionamento ruim com a equipe entre os três principais motivos de demissão no Brasil.

Os bons comportamentos nunca foram tão valorizados nas empresas como hoje. Você consegue preparar um recém-formado ensinando as tarefas que ele tem a desempenhar e mostrar a um atendente os relatórios que ele precisa preencher. Mas você não consegue simplesmente fazê-los serem tolerantes, respeitosos, resilientes ou saberem lidar com pressões, enfim, terem atitudes positivas. Há também gestores brilhantes nas empresas, mas que são extremamente centralizadores e têm dificuldade de se comunicar com os colaboradores.

Neste sentido, a prática do autoconhecimento, da autopercepção, apresenta-se como ferramenta essencial para a melhora dos relacionamentos e, consequentemente, do sucesso não só do profissional como da própria empresa. É um aprendizado que envolve um caminho emocional e que está diretamente ligado às experiências de vida que a pessoa obteve.

Vale ressaltar também que há pessoas que cultivam a falsa sensação de que ao mudar de emprego o problema será solucionado, o que nem sempre é verdade. Quando a dificuldade está na própria pessoa, os conflitos de relação e comportamento irão acompanhá-la aonde quer que vá.

A partir do momento que a pessoa abre espaço para se encarar e faz uma avaliação interna sincera, ela praticamente percorre 50% do caminho de autoconhecimento para promover as mudanças e melhorias necessárias. Em muitos casos, o profissional não enxerga o que está errado, mesmo que as pessoas em volta sinalizem. Em outros, ele pode até obter consciência, mas não se importa ou não sabe como promover a melhoria. Por isso, a necessidade da responsabilização se faz tão importante.

Neste percurso, é fundamental que a pessoa busque compreender a origem e o porquê de determinados comportamentos, revendo suas atitudes e assumindo novos modos de agir. Uma pessoa que consegue unir a parte técnica aos bons relacionamentos, certamente obterá excelentes conquistas não só na carreira, mas na família e em todas as áreas da vida.

*Heloísa Capelas é Diretora de Desenvolvimento Humano no Centro Hoffman. Autora do livro o Mapa da Felicidade (Editora Gente). Especialista em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental atua no desenvolvimento do potencial humano há cerca de 30 anos.

Compartilhe:

Comentários