Brasil apresenta políticas trabalhistas ao governo do Vietnã

Data 22/09/2009

 

Encontro com representantes do MTE ajuda vietnamitas a entenderem as políticas adotadas pelo governo para assegurar condições dignas aos trabalhadores.

Trocar experiências sobre crescimento econômico e desenvolvimento sustentável e conhecer as políticas trabalhistas brasileiras são os principais objetivos da reunião realizada nesta segunda-feira entre representantes do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e do Ministério do Planejamento e Investimento da República Socialista do Vietnã.

"É muito importante esse intercâmbio de informações. Principalmente por comemorarmos em 2009 os vinte anos de relações entre Vietnã e Brasil", lembrou o vice-presidente do Central Institute for Ecomic Management (órgão subordinado ao Ministério do Planejamento), Professor Dr. Le Xuan Ba.

O salário-mínimo brasileiro foi um dos principais temas abordados durante o encontro. Além de uma retrospectiva histórica e explicativa, foram apresentados dados que mostram que desde 2002 o poder de compra do salário-mínimo vem aumentando, reflexo da política de reajuste acima da inflação adotada pelo Governo Lula.

"O desafio do governo brasileiro é pagar o maior valor possível para o salário-mínimo sem que essa importância cause impacto negativo no número de trabalhadores empregados no país", disse coordenadora do Observatório do Mercado de Trabalho, do MTE, Adriana Giubertti.

Ponto que também mereceu atenção especial da comissão vietnamita foi o Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado. Ao serem apresentados a dados que mostram a eficiência em conceder pequenos empréstimos aos trabalhadores que desejam iniciar o próprio negócio, a comissão mostrou-se surpresa com a baixa taxa de inadimplência.

"As pessoas que tomam menos recursos emprestados são as que mais pagam. Além disso, é comum encontrar trabalhadores que após quitarem o empréstimo voltam ao banco para solicitar nova ajuda e, com esse dinheiro, ampliarem o negócio iniciado por meio do programa", comemora Adriana Giubertti.

Temas como o trabalho formal, qualificação de trabalhadores, programas de incentivo ao primeiro emprego e modelos econômicos solidários também foram apresentados aos vietnamitas.

Vietnã – Localizado na Indochina, o país asiático tem mais de 2.500 anos sofreu com sucessivas dominações. Durante mil anos a região foi dominada por dinastias do império chinês, tendo alcançado a independência apenas em 938. Porém, em 1858, o país – que era livre – passou a ser colônia francesa. Essa dominação durou até a primeira fase da Segunda Guerra Mundial, quando a enfraquecida França perdeu o território vietnamita para o Japão.

Após anos de lutas e segregações sociais, ideológicas e territoriais, em 1976 o Vietnã do Sul e o Vietnã do Norte se uniram e deram origem à atual República Socialista do Vietnã, que hoje tem a cidade de Hanói como capital. Esse país comunista possui uma cultura diversa e rica, principalmente por causa da mistura dos 54 grupos étnicos que habitam o território e da herança deixada pelas culturas chinesa e indiana.

Essa notícia foi publicada no site do MTE, em 22/09/2009