Campus Party Goiás discute papel da tecnologia no futuro do trabalho

Data 10/09/2019
Entrada da Campus Party Goiás

O ano de 2019 foi marcado pela primeira passagem da Campus Party por Goiás. O tradicional evento de imersão em tecnologia trouxe a Goiânia, entre 4 e 8 de setembro, um panorama do futuro do mercado e de como os profissionais podem encarar as transformações que estão em curso com criatividade e expertise.

A princípio, a organização estima que cerca de 40 mil pessoas tenham passado pelos quatro dias de evento, parte delas participando de palestras e workshops que somaram mais de 300 horas de conteúdo sobre games, startups e mais.

Para o Diretor de Produtos da LG lugar de gente, Marcello Porto, a experiência da Campus Party Goiás atingiu mais do que o público goiano. “Acredito que trazer o evento para Goiás foi muito relevante, pois acabamos recebendo muitos participantes de outros estados, como do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e do Pará. Isso permitiu que outras regiões do país tivessem acesso a esse tipo de evento, afinal, estamos a mil quilômetros de distância de São Paulo.”, avalia.

Entrada Campus Party Goiás

Campus Party como gatilho de transformação

Essa edição da Campus Party tratou de estimular reflexões em relação às crescentes mudanças do mercado de trabalho, como explica Tonico Novaes, Diretor Geral do evento.

Para ele, o conteúdo serve como gatilho para a transformação local e o fortalecimento e integração das comunidades locais. “Acreditamos que 10% das profissões vão morrer, de alguma forma, num futuro próximo, e as outras 90% vão mudar radicalmente. A Campus trabalha como uma plataforma de troca de conhecimentos e reciclagem. A partir daí, os profissionais ou mesmo aqueles que ainda estão fora do mercado podem renovar suas perspectivas e inovar seus conceitos e processos, para serem protagonistas dessas mudanças que estão acontecendo”, avalia.

Um exemplo do proposto por Tonico Novaes é a experiência de Erick Moreno, Designer de Jogos e Conteúdos e Especialista de Gestão da BTCC Conexão Cliente. Palestrante do evento, ele trouxe aos participantes o painel “Projetos de gamificação para o engajamento de pessoas”.

Erick conta que percebeu o potencial dos games antes mesmo de conhecer o método e passou a se dedicar ao tema depois de comprovar sua eficácia na prática. “Ainda na graduação em História, criei o primeiro jogo digital para ensinar história da Grécia para alunos de uma escola municipal. O resultado foi melhor do que eu esperava. As crianças não só aprenderam o conteúdo passado no jogo, mas também passaram a perguntar e pesquisar mais sobre o tema. Desde então não parei mais, pesquisei sobre o assunto, fiz diversos projetos atuando como professor e posteriormente como gestor no mundo corporativo”, relata o palestrante.

Assim como os jovens profissionais que passaram pela Campus Party, Erick acredita que as organizações também precisam acompanhar as transformações da era digital. “A tecnologia está cada vez mais presente no nosso dia a dia e não podia ser diferente no ambiente de trabalho. A velocidade do mundo mudou com a popularização da internet e aparelhos móveis. Os jovens que hoje estão entrando no mercado de trabalho já vêm com esse novo ritmo de vida. Não creio que são eles que precisam assimilar essas evoluções e novidades. Minha dúvida é se as empresas estão preparadas para esses novos colaboradores”, frisa.

Futuro do trabalho na Campus Party Goiás

Gilbson Sousa e Karla Turra, dentre outros colaboradores da equipe de Gente e Gestão, estiveram no evento recebendo os participantes no espaço da LG lugar de gente

Para a LG lugar de gente, patrocinadora oficial do evento, a presença na Campus Party Goiás teve como propósito tanto o diálogo com os novos profissionais como a aquisição de conhecimentos, como esclarece Marcello Porto. “Nosso objetivo principal é apresentar a marca LG lugar de gente aos participantes, principalmente para captação de talentos. Em segunda instância, estamos ali atentos a eventuais tecnologias ou discussões. Com tantas cabeças jovens reunidas, temos a possibilidade de obter importantes insights”, avalia.

Atualmente com 22 vagas abertas para a área de tecnologia da empresa, que vão desde estágio até cargos de gerência, a organização viu na Campus Party uma oportunidade de buscar profissionais alinhados às novas tendências do mercado.

Contudo, Marcello acredita que mesmo com tantos candidatos em potencial reunidos, a tarefa segue desafiadora. “Esse é o foco e ao mesmo tempo a dificuldade principal. É uma competição no mercado por atrair esses jovens talentos e isso não diz respeito apenas a Goiânia ou ao Brasil, mas ao mundo inteiro como acontece, por exemplo, no Vale do Silício. Com tantas empresas, torna-se necessário mostrar algum diferencial aos profissionais. Aqui acontece o mesmo ainda que em escala reduzida. E isso não é apenas uma questão de salário, mas de oferecer uma boa empresa para se trabalhar, proporcionar uma atmosfera de inovação, entre outros fatores”, completa.

O papel da tecnologia

Com esse fim, alcançar o melhor ambiente profissional exige a compreensão da real função das novas ferramentas. É o que afirma Tonico Novaes, Diretor Geral da Campus Party. “A tecnologia é um meio para as pessoas atingirem seus propósitos e resolver problemas; não um fim em si mesma”, alerta.

Para ele, é preciso aplicar esses recursos de forma adequada para acompanhar o processo de evolução em curso. “Inteligência Artificial, big data, deep learning e blockchain podem ser encarados como as inovações mais em alta hoje. Porém, o movimento mais evidente que se constata em um evento como esse é que é preciso hackear o conhecimento em prol do bem comum. Isso significa unir e empoderar as pessoas, identificar sinergias, mapear lacunas e prototipar soluções, facilitar as trocas de informação e torná-las inteligíveis. Esses são os maiores legados que podemos e devemos proporcionar. Daí surgirão as próximas disrupções”, afirma.

Por sua vez, Erick Moreno cita o exemplo da modalidade de ensino a distância como forma de permitir que mais pessoas busquem capacitação. Ainda assim, ele também ressalta a importância de enxergar o valor dessas ferramentas para o desenvolvimento do capital humano.

“O essencial é entender que a tecnologia é um grande apoio para a gestão de pessoas. Hoje, os sistemas das empresas trazem cada vez mais informações para direcionar as ações. O que se faz necessário é que esse novo gestor saiba interpretar as informações e usar a tecnologia a seu favor, economizando tempo para o que realmente importa, que é cuidar de gente”, pontua.

Nesse cenário, o Diretor de Produtos da LG lugar de gente, Marcello Porto, avalia a participação da organização no evento. “Fazermos parte da Campus Party Goiás como patrocinadores e única empresa de tecnologia da informação dedicada à gestão de pessoas no mínimo instiga os participantes e mostra que estamos ali com um propósito”, finaliza.


Faça parte da equipe LG lugar de gente. Clique aqui para ver as oportunidades disponíveis e candidate-se. Não encontrou uma vaga compatível com seu perfil? Cadastre-se em nosso banco de talentos para ser contatado assim que uma oportunidade surgir.

Comentários