Como resolver tarefas pessoais durante o trabalho

Data 15/10/2013

Todos nós precisamos fazer tarefas pessoais durante o horário de trabalho e a maioria das empresas reconhece isso. Mas o que é preciso fazer para chegar ao equilíbrio certo, e como lidar com expectativas diferentes?

O que é aceitável?

"A maioria das pessoas tem um contrato psicológico no trabalho, onde eles esperam que o chefe seja razoavelmente flexível e permita coisas como uma ou outra ligação telefônica pessoal", diz a psicóloga do trabalho Hazel Carter-Showell. "Em retorno, eles se dispõem a checar o e-mail no tempo livre e trabalhar até mais tarde ocasionalmente".

No entanto, o coach executivo Rod Wills, da Assentire, adiciona que pode haver uma grande variação entre a definição de "razoável" de diferentes  indivíduos. "É preciso haver confiança dos dois lados – e uma troca de favores adequada", diz ele.

Como chefe, quais os benefícios de ter uma abordagem flexível?

"Empregadores flexíveis compram lealdade e confiança", diz Peter Thomson, coautor do livro "Future Work". "O expediente fixo já é coisa do passado, mas é preciso que isso seja uma via de mão dupla. Se você trata as pessoas como crianças, elas agirão como crianças".

Hazel diz que é comum que funcionários mais talentosos façam mais tarefas pessoais durante o expediente, porque eles terminam o trabalho mais rápido. "A pessoa que passa algum tempo no Facebook ou fazendo compras na internet pode bem ser a mais eficiente. Se você briga com eles, pode acabar castigando a eficiência. Os chefes precisam medir o que é produzido em termos de resultados, e não o trabalho feito em termos de esforço."

Além disso, como Thomson adiciona, tentar controlar esse tipo de coisa geralmente é infrutífero. "Se você bane redes sociais nos computadores do trabalho, as pessoas vão usar os smartphones para acessá-las", diz.

Quando acontecem problemas?

Quando organizações bloqueiam partes grandes da internet – como redes sociais e sites de compra – isso geralmente reflete um choque de gerações. "Os mais velhos tendem a delimitar muito mais o horário pessoal e de trabalho", diz Hazel. "E o problema é que eles só veem o funcionário checando o Facebook às 10h, e não estão presentes quando ele está lendo o e-mail profissional às 22h."

Thomson adiciona: "A grande preocupação dos chefes é que as pessoas vão abusar da confiança, mas isso não acontece em 99% das vezes – e se ocorrer, é só ter uma conversa discreta com o profissional".

Os problemas costumam aparecer apenas quando os funcionários passam por acontecimentos pessoais muito significativos, como mudanças, casamentos ou divórcios.

E se eu precisar pedir mais tempo livre para meu chefe?

Thomson diz que o ideal é oferecer o mesmo nível de flexibilidade que o pedido que está sendo feito: "Converse com seu gestor e fale que você precisa fazer algo durante o dia, mas que irá compensar no período da noite. Qualquer chefe deveria aceitar isso".

Willis adiciona que, se você precisa tirar muito tempo livre do trabalho, é importante conversar com o chefe sobre como fazê-lo de um jeito que seja justo para os outros membros da equipe.

 

*Essa notícia foi publicada no site Valor Econômico, em 15/10/2013

Comentários