Como se tornar um profissional proativo?

Data 30/09/2013

A proatividade é uma característica salutar e muito valorizada pelas empresas competitivas. Afinal, o profissional proativo antecipa-se até mesmo aos problemas e sempre agrega valor diferenciado ao negócio e ao próprio time em que está inserido. Confira abaixo algumas formas de ser proativo no dia a dia, seja dentro ou fora da organização!

1 – Seja um bom comunicador. Ou seja, não pense que a comunicação é um processo unilateral, muito pelo contrário. Você precisa saber se expressar, como também necessita ser um bom ouvinte e se colocar no lugar da outra parte envolvida no processo. E para se comunicar bem, não é preciso usar verbos ou expressões "robustas", que apenas demonstram que você é um exímio memorizador de palavras que, muitas vezes, chegam a assustar quem as escuta.

2 – Esteja receptivo ao feedback, pois essa é uma ferramenta instituída não para "puxar as orelhas" dos profissionais, mas sim para mostrar quais os pontos fortes e aqueles que precisam ser trabalhados. A partir disso, o talento poderá apresentar uma melhor entrega de resultados.

3 – Dizer sim às inovações tornou-se indispensável tanto para as empresas quanto para os talentos que desejam permanecer em um mercado competitivo. Só acompanhando as inovações as pessoas são capazes de se adaptarem a realidades desafiadoras e superarem desafios que cedo ou tarde terão que enfrentar.

4 – Que o mundo tornou-se globalizado, isso não é mais novidade. Então, ser receptivo à diversidade é outro fator indispensável para se tornar um profissional proativo e acompanhar as tendências que se apresentam dia a dia. Lembre-se de que você também faz parte dessa diversidade e que outra pessoa pode estar tentando adaptar-se a você.

5 – Tenha entre mente de que é preciso trabalhar em equipe. Não importa o cargo que você ocupe, pois até mesmo os líderes precisam atuar em conjunto com os seus times e delegar atividades ou chegará um momento em que a sobrecarga de trabalhos os fará entrar em "curto-circuito". Não se chega a um determinado resultado de forma isolada e acreditar que a autossuficiência é o caminho para uma carreira promissora pode ser tornar um grande pesadelo.

6 – Obviamente que ninguém possui uma bola de cristal que irá sinalizar que uma situação de risco está prestes a chegar. Contudo, é possível antecipar-se a determinados problemas e para isso, basta fazer uma leitura correta do ambiente em que atuamos para saber que cedo ou tarde enfrentaremos determinada situação. Por isso, o profissional proativo antecipa-se aos problemas e atua no sentido de neutralizá-los ou de tornar suas consequências menos pesadas ao ambiente corporativo.

7 – Encontre o conhecimento em todas as oportunidades. Não se restrinja a aprender apenas nas situações formais, em que você é convidado a participar de treinamentos, de cursos, por exemplo. Aprenda em todos os momentos, pois a vida é e sempre será um eterno aprendizado. Tudo dependerá da visão holística que você possui da vida. Se você se acredita que irá adquirir conhecimento apenas em uma sala de aula, deixará passar aprendizados valiosos nas conversas com os amigos, em um bom filme que assistiu, em um comentário feito por uma pessoa que não pertença à sua geração.

8 – Fique atento ao que ocorre não apenas à sua área de atuação, mas também a tudo o que envolve o negócio da empresa. Lembre-se que todos os setores da companhia estão direta ou indiretamente relacionados.

9 – Não tenha medo de errar, pois recomeçar faz parte do processo de aprendizagem. Muitas vezes, é preciso desaprender para aprender, para se livrar de paradigmas que se encontram enraizados em nossas mentes e que impactam em nossos comportamentos.

10 – E por falar em comportamentos, lembre-se de que não é preciso apenas desenvolver apenas as competências técnicas. Hoje, muitos profissionais são desligados das organizações ou perdem oportunidades, porque não se preocupam de desenvolver o lado comportamental, afinal para fazer parte de um time é preciso viver com pessoas e isso envolve situações que lidam com emoções.

 


*Essa dica foi publicada no site RH.com.br, em 23/09/2013

Comentários