Convivência: a importância do respeito às diferenças no ambiente de trabalho

Data 18/09/2012

*Por Luiz Gabriel Tiago (Sr. Gentileza)

Existem algumas "regras de convivência" que ouvimos desde criança e crescemos convivendo com elas. Nossos pais nos ensinam que devemos respeitar o próximo porque isso é o correto, que não devemos julgar ninguém, que precisamos ser tolerantes, etc. Até que alguma coisa aconteça e nos faça criticar, julgar e tomar atitudes contraditórias.

Por exemplo, quem nunca viu alguém ser influenciado por amigos, parentes ou colegas de trabalho? Certas pessoas são facilmente contaminadas pelo mal e se deixam persuadir sem perceber, quando veem, já estão fazendo parte de grupinhos que adoram criticar ou ofender as minorias. Se ainda fizessem abertamente, saberíamos quem são e poderíamos tentar um esclarecimento. O pior é que se camuflam por trás de uma roupagem de "bom moço" e não conseguimos identificá-los.

Nessa geração atual, a forma de encarar o mundo é um pouco diferente, mais amena, suave, mas mesmo assim ainda vemos cenas de intolerância religiosa, sexual ou étnica.

Aí podemos ver o que acontece nas empresas do século 21: assédio moral, falsos líderes que agridem verbalmente suas equipes e colegas de trabalho, ofensas e outras aberrações laborais. Não nos damos conta, mas muitos profissionais são sufocados por tiranos diariamente, e precisam mentir para si mesmos que são felizes no trabalho, pois tem medo de trocar o certo pelo duvidoso, medo de mudar, renovar ou transformar sua vida.

Resumindo: a autoestima está em falta no mercado; tem muita gente sendo apedrejada e precisando de um suspiro de alívio. Sequer percebem que existem e podem sobreviver "pós-empresa-atual", dar uma guinada profissional e se recolocar em outra empresa. Também podem empreender em causa própria criando seu próprio negócio ou trabalhando de forma autônoma.

Pequenas atitudes gentis podem evitar as más condutas. Respeitar os mais humildes, cumprimentar com carinho as pessoas, não fazer parte de motins ou grupos de fofocas, ser dócil quando quiser ser ríspido, acalmar os ânimos e dizer o quanto todos são importantes.

Não deixe ser influenciado por más pessoas. Seja gentil e ensine essa conduta ao seu colega de trabalho. Muitas pessoas precisam apenas de um sorriso para "ganharem" seu dia. Dê o primeiro passo na direção certa e veja como vale à pena ser gentil com você e com o próximo.

* Luiz Gabriel Tiago  é escritor, palestrante e consultor em treinamentos. Conhecido como Sr. Gentileza, aborda em suas apresentações, cursos e workshops a gentileza no ambiente profissional, qualidade no atendimento e capacitação profissional. Esse artigo foi publicado no site Administradores, em 14/09/2012.

Comentários