Cresce estresse com o trabalho no Brasil e no mundo

Data 13/01/2010

 

Segundo pesquisa realizada em todo o mundo, 58% das empresas tiveram um aumento de estresse ocupacional significativo nos últimos dois anos. 

A Regus, líder mundial em fornecer soluções inovadoras de espaço de trabalho, divulgou os resultados de uma pesquisa realizada em todo o mundo, que constatou que 58% das empresas tiveram um aumento de estresse ocupacional significativo nos últimos dois anos. 

A maior pressão pela rentabilidade é a razão enfatizada por grande parte dos pesquisados. As ameaças constantes de perder o emprego, a carga de trabalho excessiva, o alto ritmo de trabalho, as tarefas repetitivas, a falta de autonomia e a falta de apoio dos colegas são alguns dos fatores que causam estresse entre os funcionários. 

Segundo o relatório, 64% dos trabalhadores das pequenas e médias empresas relataram níveis mais elevados de estresse, contra 60% das pessoas que trabalham em empresas multinacionais. Isto ocorre devido à ansiedade para manter a renda alta o suficiente para as PMEs sobreviverem. 

O estresse ocupacional é um dos problemas de saúde mais graves atualmente, inclusive no Brasil, sendo considerado pela União Européia como a segunda patologia mais comum do mundo, chamada de "epidemia do século XXI". 

Em outra recente pesquisa realizada pelo International Stress Management Association (ISMA) que ouviu mil profissionais de diversos países, o Brasil liderou o ranking de horas trabalhadas por semana: 54 horas, contra a média mundial de 41 horas. No quesito "exaustão física e emocional", que avalia o nível de estresse do trabalhador, o Brasil registrou o segundo por índice, ficando atrás apenas do Japão e superando países como China, Estados Unidos e Alemanha. 

"Esta situação é negativa para as empresas, pois no momento em que estão lutando para retomar o crescimento, têm sua gestão e produtividade no trabalho afetadas, além de baixos níveis de motivação e conflitos internos", afirma Michael Turner, vice-presidente da Regus na América Latina. 

Para combater o estresse, a Regus oferece um guia com dicas importantes para as companhias brasileiras melhorarem sua qualidade de vida e seu ambiente de trabalho, reduzir os níveis de ansiedade nos funcionários e, assim, ajudá-los a manter um equilíbrio saudável na sua vida profissional. 

Equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal: Pratique esportes e atividades de lazer, programe horários e se dedique à família e amigos, para manter uma boa qualidade de vida. 

Evite sobrecarga: Estabeleça uma lista de objetivos a curto e médio prazo, para ter mais informações sobre os projetos em desenvolvimento e evitar o estresse. 

A administração do tempo é o caminho para o sucesso: Planeje as tarefas que precisam de mais tempo e delegue quando necessário, estabelecendo prazos para a execução das atividades. Estas são algumas das principais chaves para o gerenciamento do tempo que levarão ao sucesso. 

Adapte o ambiente de trabalho e o mantenha limpo: É importante que os funcionários tenham seu próprio espaço dentro do escritório, que seja limpo, arrumado e com objetos e/ou fotografias pessoais que o ajudarão a obter um ambiente aconchegante para trabalhar. 

Descanso igual a Produtividade: É aconselhável fazer pequenas pausas durante a jornada de trabalho para permitir que o funcionário se desconecte brevemente e, em seguida, execute uma nova tarefa com maior concentração. Por outro lado, é vital dormir cerca de oito por dia para relaxar e, assim, enfrentar os próximos desafios com energia. 

Motivar e ser motivado positivamente: A motivação começa em cada um e acaba por contagiar o meio em que se vive, portanto, ter uma atitude positiva quanto à empresa, em uma nova tarefa ou em conversa com um colega promove um bom ambiente, melhorando as relações pessoais entre funcionários e evitando potenciais conflitos.

Essa notícia foi publicada na RH Central, em 11/01/10.