Crise afetou perspectivas da geração Y, mostra estudo

Data 30/01/2012

 

 

 

Os jovens profissionais passaram a dar prioridade para atuar em empresas nas quais visualizem uma evolução na carreira.

Um número crescente de executivos percebe que os profissionais da geração Y (pessoas nascidas entre 1980 e 2000) querem trabalhar com a equipe e não para seus superiores. Além disso, esses jovens dão pouca atenção aos detalhes e ignoram qualquer tipo de hierarquia. Por outro lado, têm energia de sobra, conhecem muito de tecnologia, querem trabalhar para organizações éticas e, acima de tudo, são extremamente ambiciosos.]

A empresa de recrutamento Hays realizou uma recente pesquisa na qual detectou que, assim como aconteceu em outros setores, a recente crise financeira internacional, afetou as perspectivas de carreira dos profissionais da geração Y. Como reflexo, das 668 pessoas ouvidas pelo levantamento, metade delas disse estar menos inclinada a assumir riscos profissionais depois das turbulências na economia.

“Uma grande mudança na perspectiva da geração Y tem sido trocar o salário por uma evolução de carreira. Esta última questão aparece como o requisito mais importante quando esses profissionais olham para o trabalho”, informa o diretor da Hays Grahame Doyle.

O especialista aponta também que os jovens profissionais passaram a priorizar organizações estáveis. Como reflexo, 55% dos profissionais consultados pelo estudo disseram que estão muito mais preocupados em atuar em uma empresa sólida do que antes da recente crise.

Essa notícia foi publicada na CIO Online, em 15/06/10.