Desconfiados, profissionais validam informações da web com amigos e familiares

Data 30/03/2011

 

A internet é um dos meios utilizados para procurar informações sobre carreiras e mercado de trabalho. Mas, pesquisa da Trabalhando.com Brasil mostra que ela sozinha não é suficiente para sanar as dúvidas dos profissionais, pois apenas 8% deles utilizam o meio como fonte única de informação sobre o tema.

A maioria dos entrevistados consulta a internet, mas também amigos e familiares na hora de buscar informações sobre sua profissão: 57% aliam esses dois meios. Para o diretor-geral da Trabalhando.com, Renato Grinberg, os profissionais andam desconfiados com o que encontram na web, por isso precisam da opinião de pessoas conhecidas e confiáveis.

“Os brasileiros estão cada vez mais atentos às mentiras encontradas em sites de empresas e de relacionamento”, afirma. “E a opinião dos amigos e familiares ajuda a validar as informações que eles encontram na rede”, explica Grinberg.

A pesquisa mostra que a web não é meio para 20% dos entrevistados da pesquisa. Para eles, as informações de que precisam sobre o tema são encontradas apenas com os familiares. Outros 9% dos 1 mil profissionais que participaram da pesquisa ouvem a opinião de colegas que atuam na mesma área que eles. E 6% conversam sobre isso apenas com amigos.

Comportamento

O comportamento dos profissionais brasileiros na hora de buscar informações profissionais está mudando. Para Grinberg, as redes sociais mais específicas e focadas em carreira, como o LinkedIn, por exemplo, ajudam os profissionais com as informações que buscam e aumentam o grau de confiança que eles têm com a rede. “Essas redes sociais trouxeram para o ambiente de rede as pessoas conhecidas”, diz. Com isso, dá para aliar a busca de informações e a validação delas no mesmo ambiente.

Para o executivo, embora 8% seja um número muito pequeno, ele vem crescendo paulatinamente. “Antes, a internet não tinha credibilidade nenhuma”, afirma. E a utilização desse meio por parte das empresas na hora de buscarem seus profissionais ajuda a aumentar a confiança com a rede. “Se o profissional vê um grande grupo por trás de determinado site, ele se sente mais seguro”, afirma Grinberg.

O executivo explica que dentre as informações mais pesquisadas na internet por quem procura dados sobre mercado de trabalho e carreiras, estão as que envolvem dados mais concretos. “Vagas e salários são as informações sobre carreiras mais procuradas na internet pelos profissionais”, avalia o executivo.

Cuidados com a rede

Se os golpes e informações desencontradas são os grandes temores de profissionais que utilizam a web para buscar informações sobre carreiras, os cuidados na hora de acessar a rede devem ser constantes. Grinberg aconselha observar se o site que está sendo consultado pertence a uma empresa confiável no mercado ou que tenha alguma ligação com empresas conhecidas.

Para certificar-se que determinada vaga ou informação está correta, consulte grupos de discussão sobre o assunto ou pesquise se há denúncias ou críticas negativas em relação à empresa que oferece o dado ou a oportunidade.

Desconfie quando lhe oferecerem vagas que estejam fora do seu perfil e que tenham muitas vantagens. “Algumas empresas não idôneas prometem uma colocação ou cargo mediante pagamento e cobram para que você participe de um processo seletivo, mas legalmente isso não existe”, reforça o executivo.

Outra dica importante é nunca fornecer dados pessoais como telefone, e-mail, números de documentos, se não tiver certeza de que a empresa é séria e que manterá seus dados em sigilo. Grinberg ainda reforça que, como as punições contra crimes virtuais ainda não têm legislação específica, cabe aos profissionais ficarem atentos ao que informam na rede.

“O ideal seria juntar todas as informações que ele adquire no meio virtual e no mundo off-line para se certificar de que elas são corretas”, considera.

Essa notícia foi publicada no Administradores, em 29/03/2011.