É possível alinhar integração à capacitação dos talentos?

Data 11/04/2012

Em algumas empresas, a preocupação com a valorização dos talentos acentua-se desde o momento em que o profissional passa pelo processo de Seleção, sendo extensiva à contratação do mesmo. Isso é o que ocorre na KingHost. Logo no momento da entrevista, a empresa disponibiliza um ambiente agradável e receptivo, que transmite disponibilidade aos candidatos. Genuinamente brasileira, a KingHost foi fundada em 2005. Sediada em Porto Alegre, oferece serviços da área de infraestrutura de web.Trabalhando com estrutura própria junto às maiores operadoras de backbone do país, a empresa hospeda hoje mais de 180 mil sites.

De acordo com Andréia Lemos, analista de Recursos Humanos, todos os candidatos que passam pelo processo recebem feedback, porque a organização – entende como função social – a responsabilidade de informando o motivo pelo qual, naquele momento, não ocorreu a contratação. "Hoje temos colaboradores que, após receberem feedback da primeira entrevista, se aprimoram e conquistam sua vaga em uma nova oportunidade", complementa Andréia.

A contratação do profissional torna-se um momento muito importante, pois esse talento será parte fundamental para a evolução da companhia. O processo de capacitação desse novo integrante dura três semanas e permite que o recém-chegado se familiarize com as ferramentas internas, com a cultura organizacional e com a equipe que irá trabalhar.

Ao longo da carreira, os colaboradores participam de programas que potencializam o desenvolvimento através de incentivos para a qualificação contínua, de acordo com as necessidades específicas de cada setor. Nesse sentido a empresa instituiu, em 2011, o Programa de Capacitação que fomenta não apenas o conhecimento, mas também a autoconfiança e autoestima de seus profissionais que, em sua maioria, têm perfil ativo na busca por conhecimento sendo, muitos desses, autodidatas.

"O principal objetivo do Programa de Capacitação é a construção do conhecimento para o nivelamento das informações específicas do mercado de hosting. No mercado de TI, bem como em outros mercados, existe uma demanda por profissionais capacitados maior que o disponível. Nossa busca foi superar essa barreira, promovendo a capacitação internamente", afirma a analista de Recursos Humanos, ao enfatizar que todos os colaboradores da empresa, independentemente da forma de contratação, estagiário ou efetivo. Afinal, todos contribuem para o sucesso do negócio.

Vale destacar que o Programa de Capacitação foi desenvolvido internamente e é coordenado pela área de Recursos Humanos, sendo realizado em conjunto com os gestores de cada área, em função das necessidades específicas. Outro detalhe relevante é que na empresa, os profissionais são estimulados a buscar a inovação e a implementá-la sempre, valorizando o conhecimento e as habilidades de cada um.

A prática – Segundo Andréia Lemos, inicialmente, quando um colaborador chega para atuar na KingHost, é realizado o Boas-Vindas, com uma exposição sobre a empresa, as atividades de cada setor e os colegas. Neste momento também se apresenta ao recém-chegado o mercado de host e o posicionamento empresarial. Este primeiro contato faz com que os novos colaboradores sintam-se acolhidos, entendam a empresa como um todo e vislumbrem as oportunidades de desenvolvimento de carreira.

A seguir, o colaborador participa de uma série de treinamentos técnicos familiarizando-se também com as ferramentas internas de trabalho. "Nessa linha também são realizados, ao longo da vivencia na empresa, capacitações específicas de acordo com as necessidades de cada setor. O que propicia o desenvolvimento profissional e fomenta a segurança e valorização da equipe. Todos os novos integrantes participam do Boas-Vindas e as capacitações com temas pontuais são realizadas de acordo com planejamento de cada setor, ficando a cargo dos gestores o convite aos membros do time", sintetiza a analista de RH, ao comentar que no projeto inicial todas as ações foram divulgadas aos gestores e após algumas customizações, foram replicadas aos demais funcionários.

Retorno do programa – Quando questionada sobre os benefícios que o Programa de Capacitação gerou para a organização, Andréa Lemos diz que a iniciativa contribuiu significativamente para o desenvolvimento profissional, promovendo a integração entre os times, além de fortalecer o sentimento de valorização e pertencimento. Ela cita, por exemplo, a descoberta de talentos internos que, espontaneamente, se disponibilizaram a atuar como facilitadores das capacitações, agregando ainda mais valor ao projeto.

Atualmente, o Programa de Capacitação já beneficiou 96% dos atuais colaboradores da organização. Para 2012, o planejamento da empresa será focado em manter o Boas-Vindas em função do crescimento constante e aprimorar os treinamentos específicos, direcionando os esforços para busca de parceiros. "Além de promover o desenvolvimento e o compartilhamento de conhecimento dos colaboradores, estas ações potencializam a inovação e valorizam o elemento humano, o que para a KingHost é fundamental", conclui a analista de Recursos Humanos.


Essa notícia foi publicada no RH.com.br, em 03/04/12.