Em 2012, faça planos para sua carreira

Data 21/12/2011

Dezembro chegou e trouxe com ele a contagem regressiva para 2012. Durante esse período, milhares de pessoas param para listar as resoluções que deverão mudar suas vidas. Isso, vale salientar, também inclui decisões que influenciarão a carreira. No entanto, para os que realmente desejam superar obstáculos e garantir espaço em um mercado de grande competitividade é preciso empenho e determinação. Seguem abaixo, algumas dicas para dar uma guinada na sua carreira e todas essas estão ao seu alcance e não são difíceis de serem aplicadas na prática.

1 – O primeiro passo é fazer uma retrospectiva sobre sua carreira em 2011. Levante os acontecimentos mais marcantes, sejam esses positivos ou não e que tenham ocorrido em decorrência da sua atuação direta ou indireta. Nesse momento, se você realmente deseja iniciar um Ano Novo melhor e próspero, é preciso ser honesto consigo.

2 – Se após essa retrospectiva, você identificar que algum fato desagradável teve origem a partir de alguma ação sua e, caso essa tenha sido consciente, chegou o momento de rever seus conceitos e quebrar paradigmas.

3 – Uma ótima forma de começar um Ano Novo com o pé direito, no campo profissional, é fazer uma autoavaliação. Caso seu desempenho tenha sido mensurado no decorrer de 2011, faça uma análise mais "severa" de si e não jogue apenas nas costas da empresa a culpa de você não ter "subido" os degraus que tanto desejou.

4 – Coloque na "balança" os recursos que você poderá destinar ao seu investimento. Não se preocupe com a quantia, mas sim com a realidade que você disponibilizará para participar de cursos, treinamentos ou outras atividades que contribuam para o seu desenvolvimento. Lembre-se dos supérfluos que podem ser cortados e deixados para depois.

5 – Não deixe de considerar os recursos gratuitos que você pode utilizar para desenvolver novas competências técnicas/comportamentais que impactarão no futuro de sua carreira. Para isso, utilize recursos como sites e revistas especializados. Aproveite os bons contatos da sua rede de relacionamento para trocar informações, experiências já vivenciadas por outros sempre agregarão valor para o seu dia a dia.

6 – Já que falamos em rede de relacionamentos, como você cuida da sua? Você dá a devida atenção à sua network ou já nem lembra mais do seu login e senha? Muitas oportunidades podem ter passado e nem sequer receberam um simples click. Em um mundo globalizado, manter-se isolado é pedir para viver numa ostra.

7 – Lembre-se, ainda, das oportunidades que são oferecidas pela empresa em que você trabalha. Quando um treinamento for oferecido, considere-o como uma oportunidade de crescimento e não apenas como uma chance para sair da rotina. Um aprendizado torna-se enriquecedor quando o aprendiz está disposto a doar-se e abrir a mente para aquilo que lhe será oferecido.

8 – Caso você tenha um sonho que abandonou por algum motivo, mesmo que os outros digam que é loucura, comece a repensar na possibilidade de ter uma segunda profissão. Uma pós-graduação, uma especialização ou mesmo um curso de extensão, em uma área diferente daquela em que você atua, pode dar um novo sentido à sua vida e motivá-lo a enfrentar novos desafios.

9 – Não tenha medo de errar, pois falhar também faz parte do aprendizado. A frase de Franklin Delano Roosevelt, "O único homem que não erra é aquele que nunca fez nada", expressa muito bem que é preciso tentar para não ficar estático e fazer da vida, uma existência que nos dê sentido a acordar todos os dias e irmos à busca daquilo que desejamos. Mas, sempre lembrando que novas tentativas não significam o fracasso, mas sim um recomeço.

10 – Estresse. Pare para avaliar se, no decorrer de 2011, você manteve o equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional. Muitas pessoas esquecem de que não são máquinas e dedicam quase toda a vida apenas ao trabalho. No entanto, em determinado momento, o organismo pedirá socorro. Quando isso ocorrer, por mais comprometido que você seja com sua profissão, seu desempenho começará a ser prejudicado, sem mencionar no surgimento de determinados sinais como, por exemplo: mau humor, dores de cabeça, irritação com fatos irrelevantes, ansiedade. Sem cuidar da saúde, não adianta fazer planos.

Essa notícia foi publicada no RH.com.br, em 05/12/2011.