Em 2013, você quer que sua empresa esteja entre as mais desejadas pelos mais qualificados?

Data 05/02/2013

*Por Eduardo Ferraz

 

Muito tem se falado sobre o que os profissionais devem fazer para atingir a excelência. Mas e as empresas? O que elas podem fazer para serem mais atraentes para profissionais de alta performance?

É comum observarmos no ambiente corporativo fórmulas prontas sobre “como motivar uma equipe". É fácil encontrar  projetos com promessas de resultados fantásticos em curtíssimo prazo. Porém, o processo não se resume a um simples formato padrão, que possa ser aplicado para todos os tipos de pessoas e empresas. A questão é: por que regras prontas funcionariam para todos se cada indivíduo pensa, age e se motiva de diferentes maneiras?

O fato é que a produtividade de um profissional está diretamente ligada aos seus motivadores. Identificar a "equação motivadora" de cada funcionário é fundamental para a empresa conseguir, além do aumento de produtividade, um ambiente coorporativo mais atrativo para novos talentos.

Na prática, as empresas possuem "moedas de troca" ou fatores que motivam e atraem as pessoas:

Primeiramente, o dinheiro, relacionado ao salário, comissão, 13°, bônus e outros mecanismos de recompensa monetária. Segurança também é um dos fatores, pois está relacionada à estabilidade do emprego, regras claras e um bom ambiente de trabalho.

Todo conhecimento que a empresa proporciona por meio de treinamentos formais e do aprendizado informal que se adquire em seu dia a dia também é um importante motivador, assim como o status, relacionado à maneira como a empresa proporciona aprovação social ao indivíduo: elogios públicos, promoções e reconhecimento têm a ver com esta "moeda".

Cada funcionário tem necessidades em diferentes intensidades. Alguns desejam ganhar mais dinheiro, outros preferem segurança, outros status, e há indivíduos que tem o aprendizado como fator mais importante.

Logo, pessoas diferentes demandam diferentes estímulos. A principal interessada em manter os profissionais que se identifiquem com a sua “fórmula” é a companhia, afinal uma funcionário motivado e feliz com o trabalho não muda de emprego com facilidade. Da mesma forma, bons incentivos atraem bons profissionais.

Para isso, é fundamental que os gestores analisem os motivadores de cada subordinado, e dentro do possível, seja flexível para atender as demandas dos profissionais mais talentosos.

Isso não quer dizer que a empresa tenha que fazer propostas que não tenham a ver com sua realidade. O mais importante nesta estratégia é oferecer o que a empresa realmente dispõe: e isso tem a ver com a estrutura, os valores e a cultura da organização.

Se você oferece alto salário como o principal motivador, por exemplo, procure profissionais que se sentem motivados ganhando bem e não se importam em ter pouca qualidade de vida. Se sua empresa oferece um excelente aprendizado, valorize e contrate quem gosta muito de aprender. Se o melhor que você oferece é estabilidade e segurança, "venda" este motivador e assim por diante.

Dessa forma sua empresa atrairá pessoas naturalmente alinhadas aos motivadores mais fortes que ela oferece. Isso propiciará um ambiente de trabalho saudável e produtivo para ambas as partes, o que certamente colocará sua empresa como uma das mais desejadas para as pessoas trabalharem.

 

*Eduardo Ferraz é consultor em Gestão de Pessoas há 21 anos e especialista em treinamentos usando como base a Neurociência comportamental. Acumula mais de 30.000 horas de experiência prática em empresas de vários segmentos.  É pós-graduado em Direção de Empresas pelo ISAD PUC-PR e especializado em Coordenação e Dinâmica de Grupos pela SBDG. Autor do livro “Vencer é ser você”, da Editora Gente.