Emprego mundial caiu em 2009 pela primeira vez em seis anos, revela pesquisa

Data 01/02/2012

 

O número de postos de trabalho caiu em 2009, pela primeira vez em seis anos, em todo o mundo, mas as perspectivas para este ano são positivas, revelou o International Business Report 2010, realizado pela Grant Thorton International.

No ano passado, os dados mostram que o resultado foi de -8% – balanço de respostas negativas e positivas quanto a contratações. Na pesquisa anterior, o índice havia sido de 21%, o que remete a uma queda de 29 pontos percentuais. Dentro deste cenário pessimista, o Brasil se destacou com avanço de 11% no número de empregos, alta mais tímida, frente à de 53% da pesquisa anterior.

“De qualquer forma, esse resultado mostra que o País já começa a se recuperar da crise econômica mundial e que os empresários acreditam que os negócios irão melhor neste ano”, afirmou o sócio da Terco Grant Thornton, Wanderlei Ferreira. No mundo, a pesquisa foi realizada com 7,4 mil empresas em 36 países. No Brasil, foram ouvidas 150 empresas.

Pelo Mundo

Na América Latina, apenas o Chile teve um resultado melhor do que o Brasil, de 13%, sendo que a Argentina ficou com 9% e o México, com -13%. As grandes economias foram as que mais cortaram postos de trabalho, com -33% nos Estados Unidos, -19% na Itália, -20% na Alemanha, -38% na Espanha e -30% no Reino Unido.

De acordo com o líder global de Mercados da Grant Thornton, Alex MacBeath, apesar dos números negativos, os efeitos da crise sobre o emprego foram menores do que se pensava. “O que ocorreu foi uma adaptação das empresas privadas de capital fechado, que estão se esforçando para reter seus funcionários”.

Os emergentes obtiveram os melhores resultados, em especial o Vietnã (54%), a China (26%) e a Índia (33%).

Perspectivas

Em estudo divulgado em janeiro, a Grant Thorton International mostrou um cenário positivo para o emprego em 2010: 20% das empresas ouvidas em todo o mundo disseram que pretendem contratar neste ano, ante -4% no ano passado, sendo que os países mais otimistas são o Vietnã (60%), o Brasil (60%), Botsuana (50%), Austrália (47%) e Índia (47%).

Essa notícia foi publicada na Info Money, em 23/03/10

Comentários