Empresas brasileiras querem contratar mais em 2010

Data 01/01/1970

 

As empresas privadas de capital fechado de todo o mundo diminuíram o número de postos de trabalho em 2009, pela primeira vez desde que a Grant Thornton International começou a pesquisar sobre emprego, em 2003. O resultado do International Business Report 2010, que ouviu 7.400 empresas de 36 países, foi de -8% (balanço entre as respostas positivas e negativas), contra 21% em 2009, o que mostra uma queda de 29 pontos percentuais.

Dentro deste cenário pessimista, o Brasil se destaca como um dos países onde o número de empregos cresceu 11%. Mas, na pesquisa anterior, esse aumento havia sido de 53%. "De qualquer forma, esse resultado mostra que o país já começa a se recuperar da crise econômica mundial e que os empresários acreditam que os negócios irão melhorar este ano", explica Wanderlei Ferreira, sócio da Terco Grant Thornton, representante brasileira da organização mundial de auditoria e consultoria. No país a pesquisa ouviu 150 empresas, sendo cem de São Paulo, 25 do Rio de Janeiro e 25 da Bahia. Na América Latina, apenas o Chile tem resultado melhor do que o Brasil: 13%. A Argentina tem um índice de 9% e o México apresentou o pior resultado, -13%.

A pesquisa mostra também que as grandes economias foram as que mais cortaram postos de trabalho. Nos Estados Unidos, o índice da pesquisa ficou em -33%; na Itália, -19%; na Alemanha, -20%; na Espanha, -38%; e Reino Unido, -30%. Os mercados emergentes obtiveram resultados melhores, em especial o Vietnã (54%), a China (26%) e a Índia (33%).

De acordo com Alex MacBeath, líder global de mercados da Grant Thornton, "tradicionalmente os empresários retardam demissões, apesar de vários sinais de recessão, como demonstra essa pesquisa". Segundo o executivo, apesar dos números negativos, os efeitos da crise sobre o emprego foi menor do que se pensava. "O que ocorreu foi uma adaptação das empresas privadas de capital fechado, que estão se esforçando para reter seus funcionários."

Apesar de a média referente à pesquisa de empregos não ser positiva, o cenário, para 2010, deve melhorar. Em estudo divulgado em janeiro pela Grant Thornton International sobre otimismo, 20% das empresas ouvidas em todo o mundo disseram que pretendem contratar este ano (ante -4% em 2009). Os países mais otimistas sobre a criação de novos postos de trabalho foram Vietnã (60%), Brasil (60%), Botsuana (50%), Austrália e Índia (ambos com 47%).

Essa notícia foi publicada no portal RH.com.br, em 23/03/10