Empresas monitoram funcionários para controlar custos com saúde

Data 02/01/2017
ginástica laboral nas empresas
ginástica laboral nas empresas

79% das empresas acompanham a adesão e a participação nos programas de saúde e bem-estar

As empresas estão mais preocupadas com os custos da assistência médica para trabalhadores. Pesquisa da Mercer Marsh Benefícios, que avaliou programas de saúde e bem-estar de 264,8 mil funcionários de 58 grandes empresas, mostra que 95% delas monitoram a utilização da assistência médica, 79% acompanham a adesão e a participação nos programas de saúde e bem-estar, e 64% avaliam índices de absenteísmo (ausência no trabalho). Ainda de acordo com o estudo, 50% das participantes medem indicadores de riscos de saúde dos colaboradores, 45% supervisionam a satisfação dos trabalhadores, e 28% inspeciona os dados de saúde mental. A pesquisa foi realizada pela consultoria durante o primeiro semestre deste ano.

Amostra da Pesquisa

O estudo “A Qualidade de Vida como Diferencial Estratégico” analisou os programas de saúde e bem-estar de 264,8 mil trabalhadores de 58 grandes empresas que atuam no Brasil. Cada uma das 58 companhias analisadas emprega em média 4.566 colaboradores. São empresas multinacionais e nacionais presentes em 19 segmentos da economia (alimentos, varejo, T.I., financeiro, energia, automotivo, logística, construção e comunicação), com matrizes nacionais nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina.

O estudo foi realizado durante o primeiro semestre de 2016 pela consultoria Mercer Marsh Benefícios™, em parceria com o Instituto Hero (Health Enhancement Research Organization), instituição norte-americana sem fins lucrativos especializada em estudos, análises e desenvolvimento das melhores práticas de saúde e bem-estar nos EUA.

Essa notícia foi publicada no site Mundo RH, em 30/11/2016

Notícias relacionadas:

Apenas 14% das empresas brasileiras têm programas de gestão em saúde

Gestão de programas de saúde: pesquisa mostra o aumento da inflação médica

Estresse, depressão e ansiedade desafiam as empresas

Comentários