Estudo comprova que as pessoas se estressam mais em casa do que no trabalho

Data 02/06/2014

Se, na volta do trabalho para casa, você começa se estressar ao pensar em todas as coisas que ainda vai precisar fazer assim que chegar lá, saiba que não é o único.

De acordo com um novo estudo da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, muitas pessoas acreditam que a vida em casa é mais estressante do que no trabalho. E ao olhar o nível de hormônios de estresse nas duas ocasiões, os pesquisadores confirmaram que isto é verdade. Portanto, se você sente certo alívio ao voltar para o escritório no dia seguinte, talvez sinta-se melhor ao saber que não está sozinho nessa.

Um total de 122 pessoas contribuiu para a pesquisa ao passarem um cotonete para recolher suas salivas três vezes ao dia. Assim, os pesquisadores puderam medir o nível de cortisol. O cortisol é o hormônio chave do estresse, que só está presente no organismo em situações deste tipo. Os voluntários também tiveram de avaliar seus estados de humor em casa e no trabalho.

A descoberta surpreendente foi que o nível de cortisol das pessoas era muito menor quando estavam no trabalho do que em casa. E esta diferença abrange todas as camadas socioeconômicas.

Ao analisar a percepção das pessoas sobre as próprias emoções, os pesquisadores observaram uma interessante disparidade de gêneros: os homens se sentem mais felizes em casa, mas as mulheres reportaram o contrário. Isto pode ocorrer porque, apesar das mudanças nos últimos anos, ainda exista um desequilibro nas responsabilidades domiciliares. A maioria destas ainda fica nas mãos das mulheres – cozinhar, limpar, cuidar das crianças – o que pode contribuir para o estresse em casa.

Porém, também existe algo fundamentalmente terapêutico em trabalhar. Saber exatamente o que deve fazer, focar-se em um projeto e trabalhar em equipe para realiza-lo pode ser menos irritante do que as funções de casa.

De acordo com a especialista Arlie Russel Hochschild, parte da razão de que trabalho parece menos estressante é o feedback positivo. Na maioria das vezes, quando as pessoas fazem bem seu trabalho, são elogiadas pelo chefe. Em casa, isso acontece com menor frequência.

Qual é a solução para este dilema entre casa e trabalho? Sarah Damaske, uma das autoras da pesquisa, acredita que diminuir a carga horária do trabalho não irá resolver este conflito. Ela aponta para o fato de que, durante o final de semana, as mulheres e homens apresentaram mesmo nível de estresse. ''Se o trabalho fosse a fonte de tensão, a diferença entre os gêneros ainda estaria presente nos dias de folga''.

A possibilidade mais razoável é de que o estresse vem do ''malabarismo'' para equilibrar os dois espaços. A chave é fazer uma transação mais suave entre trabalho e casa. Damaske sugere que as empresas ofereçam políticas mais favoráveis à família, como horários flexíveis e a opção de home-office. Isto pode não acabar com o estresse completamente, mas reduzirá a tensão pela constante mudança entre os dois mundos.

 

*Essa notícia foi publicada no site Forbes Brasil, em 28/05/2014

Compartilhe:

Comentários