Estudo mostra como ficar de fora de lista de demissões em massa

Data 21/10/2013

O presidente-executivo e o presidente da empresa de recrutamento Zenger/Folkman, Jack Zenger e Joseph Folkman, fizeram um levantamento para descobrir como um gestor pode deixar seu nome fora da lista de demissões de uma empresa que faz demissões em massa.

Para identificar fatores que possam prever quando alguém tem chances de ser mandado embora, os pesquisadores reuniram dados de uma das cem maiores empresas dos Estados Unidos. A companhia passou por um "enxugamento organizacional".

Segundo a pesquisa, publicada pela revista "Harvard Business Review", apenas 23% dos funcionários demitidos tiveram um mau desempenho na avaliação de desempenho anterior. Ou seja, a maioria dos profissionais que foram "convidados a se retirar" não tinha ideia de que isso iria acontecer.

Mas, quando examinadas as avaliações dos dois anos anteriores, a publicação encontrou um conjunto de problemas no perfil dos profissionais. O levantamento apontou, então, seis fatores que podem indicar uma possível demissão. Todos os funcionários despedidos compartilhavam pelo menos dois dos itens abaixo:

NÃO ERAM PROFISSIONAIS ESTRATÉGICOS

Muitos dos profissionais demitidos não trabalhavam em funções que lhe davam oportunidades de criar novas estratégias. Em suas avaliações de desempenho, o grupo teve uma média de 32% na avaliação de capacidade estratégica, pior do que dois terços dos seus colegas.

NÃO ENTREGAVAM RESULTADOS CONSISTENTES

Os funcionários mandados embora tiveram uma nota média de 37% na avaliação de obtenção de resultados. Eles haviam perdido prazos e deixado de entregar projetos, e alguns tinham reputação de não trabalhar muito.

ÉTICA OU INTEGRIDADE DUVIDOSAS

O não cumprimento das políticas da empresa, comentários e relacionamentos inadequados com colegas de trabalho e más práticas financeiras são alguns dos problemas em questão.

POUCAS HABILIDADES INTERPESSOAIS

Muitas pessoas com poucas habilidades de relacionamento foram promovidas com base na capacidade técnica e não foram capazes de melhorar a parte social para ter sucesso nas novas funções. O grupo dos funcionários demitidos teve uma média de 37% na avaliação de construção de relacionamentos.

Muitos eram vistos como líderes fracos, incapazes de influenciar os outros e alguns eram considerados pessoas difíceis de se lidar.

RESISTENTES A MUDANÇAS

Os piores líderes supõem que, agora que eles foram promovidos, podem continuar a trabalhar do mesmo modo que antes. Muitos dos gerentes que foram dispensados foram descritos como resistentes a mudanças no nível pessoal e organizacional e inflexíveis a novas abordagens.

TINHAM PERDIDO APOIO

Mais da metade dos gestores que foram demitidos haviam perdido apoio recentemente. Na vida profissional, você precisa ter mais de um defensor ao seu lado.

*Essa notícia foi publicada no site Folha de São Paulo, em 15/10/2013

Comentários