Família determina transferência de executivos para outras cidades

Data 13/01/2014

A felicidade do cônjuge e da família vem em primeiro lugar na hora de aceitar – ou não – uma transferência de emprego para outra cidade, Estado ou país.

Essa prioridade foi detectada por uma pesquisa da Cartus, empresa especializada em serviços de transferência doméstica e global. A companhia entrevistou dezenas de executivos de recursos humanos e profissionais especializados em transferências, dos quais 38% apontaram o bem-estar dos familiares como o mais importante a considerar em uma possível realocação.

A conjunção de aumento salarial com novas responsabilidades correspondeu a 22% das respostas; potencial para avanço na carreira, a outros 22%; o lugar para o qual se vai ser transferido, a 13%; e o tempo de duração da transferência, a 5%.

A pesquisa também mostrou os destinos dos sonhos dos executivos em possíveis transferências. Em território americano, Nova York é a menina dos olhos, seguida de San Francisco, San Diego, Boston, Chicago, Miami e Dallas.

Entre os outros países do mundo, Itália e Austrália são os mais desejados. Depois aparecem França, Nova Zelândia, Alemanha, Singapura, Espanha e Hong Kong.

 


*Essa notícia foi publicada no site Valor Econômico, em 10/01/2014

Comentários