Forma como chefe encara o trabalho tem impacto no desempenho de funcionários

Data 11/08/2014
Forma como chefe encara o trabalho tem impacto no desempenho de funcionários

Estudo divulgado pela revista Harvard Business Review mostra que um líder comprometido interfere na retenção de talentos

A forma como o seu chefe lida com o trabalho também tem impacto sobre você. Para o bom desempenho da equipe, não basta que os subordinados procurem um equilíbrio entre vida e trabalho: é necessário que os líderes também coloquem em prática formas de trabalho mais sustentáveis. Essa é a principal conclusão de um estudo divulgado pela revista "Harvard Business Review".

Na pesquisa, realizada por Christine Porath, professora da Universidade Georgetown, e Tony Schwartz, da consultoria The Energy Project, foram ouvidas pela internet 19 mil pessoas de diferentes países.

Quando o líder estabelece uma boa relação com o trabalho, o efeito sobre comprometimento, níveis de estresse, satisfação e retenção dos funcionários é significativo.

Entretanto, de acordo com o estudo, apenas 25% dos entrevistados disseram ter um chefe que exercita formas de trabalho mais saudáveis. Os empregados desses líderes são 55% mais engajados e 77% mais satisfeitos. Além disso, é 1,15 vez mais provável que um empregado com esse tipo de chefe continue na companhia.

Apenas 22% dos entrevistados disseram ter um líder que passa uma visão clara, consistente e inspiradora. Os que afirmaram ter esse tipo de chefe eram 65% mais engajados e 82% mais satisfeitos no trabalho.

Muitas companhias constroem academias e até mesmo salas de soneca no espaço físico da empresa. Mas se os chefes não as utilizam, os empregados acabam relutantes em fazê-lo.

Segundo mostra o estudo, é 1,1 vez mais provável que os empregados continuem em uma empresa na qual o chefe os encoraja a fazer intervalos durante o expediente de trabalho e aproveitar os dias de férias e coloca essas recomendações em prática.

De acordo com a publicação, os profissionais querem se sentir reconhecidos pelos seus superiores diretos. Quando isso acontece, o empregado tem 1,3 vez mais chance de permanecer no trabalho.

 

Essa notícia foi publicada no site Folha de São Paulo, em 06/08/2014

Compartilhe:

Comentários