Frutas e arroz integral no cardápio das empresas

Data 23/04/2013

Incentivar o consumo de alimentos saudáveis é um dos desafios do mundo moderno, inclusive no Brasil, como indica a última pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde. Segundo o levantamento, a proporção de pessoas acima do peso no País subiu de 42,7% em 2006 para 48,5% em 2011, enquanto o porcentual de obesos avançou de 11,4% para 15,8% em igual período.

 O problema da má alimentação afeta a produtividade de trabalhadores e incentiva empresas a adotarem políticas que favorecem a saúde e o bem-estar dos colaboradores. Frutas, sucos, sanduíches naturais e barras de cereais começam a fazer parte do cardápio de grandes companhias como forma de promover hábitos alimentares mais saudáveis.

Na Johnson a preocupação com o tema levou até à contratação de uma empresa terceirizada que distribui duas vezes por dia frutas aos colaboradores. Além disso, durante as refeições é oferecido um cardápio equilibrado. “Temos um espaço gourmet, com uma variedade de cinco saladas no almoço e um cardápio voltado para os vegetarianos”, explica Glauce Gravena, coordenadora de Serviços de Alimentação da empresa.

A aceitação da iniciativa é tanta que alguns colaboradores chegam a pedir a receita dos pratos servidos na empresa. “Eles dizem que é melhor que comer em casa”, conta Amalia Franke, gerente de Facilities da Johnson. Ela explica que o objetivo é fazer com que os colaboradores entendam que é possível se alimentar bem com pratos saborosos e com isso incentivar a adoção em tempo integral de uma dieta mais saudável. “Para que eles levem esse hábito saudável para casa oferecemos ainda cursos de culinária”, diz, acrescentando que a iniciativa tem sido um “sucesso”.

Para a especialista em nutrição clínica, oncologia e terapia ocupacional e professora da Anhanguera Unipli, do Rio de Janeiro, Patricia Arraes, qualquer medida para melhorar a saúde dos colaboradores é válida, inclusive para a empresa, que se beneficia com um número menor de abstenções no trabalho. “A oferta de frutas e de alimentação balanceada pode melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores, uma vez que esses alimentos são ricos em fibras, vitaminas e minerais com potencial antioxidante, que são fatores potentes de prevenção a doenças crônicas, como hipertensão e diabetes”, diz.

Com programas macros e alguns especiais, a Eternit possui um cardápio, elaborado pela nutricionista da empresa, específico para pessoas com diabetes. Mas não são apenas os colaboradores com a enfermidade que se beneficiam com as ações da empresa. A companhia criou, há dois anos, um “Carrinho da Saúde” que distribui, de segunda a sexta, duas vezes ao dia, frutas higienizadas e prontas para o consumo. “Além disso, oferecemos lanches naturais, sucos de soja e barra de cereais”, explica a analista de recursos humanos da empresa, Carolina Ribeiro Cabral Nogueira.

O “Carrinho” faz parte de um programa de qualidade de vida, que mapeou a situação da saúde dos colaboradores. “Nesse levantamento, identificamos que a maioria das pessoas passava muito tempo sem comer e poucos tinham o hábito de ingerir frutas”, diz Carolina. O programa surtiu resultado. Desde que começou a distribuição de frutas, quase 100% dos mais de três mil colaboradores da Eternit passaram a consumir o alimento ao menos três vezes por semana.

Para incentivar uma alimentação mais saudável e balanceada, a Schneider Eletric disponibiliza uma opção maior de alimentos, mas a escolha sobre o que comer é feita por cada um, explica a vice-presidente da empresa, Rosana Martins. “Quem está fazendo regime tem a opção de se servir com arroz integral”, diz.

No lugar de chocolates, frutas

A busca por uma alimentação mais saudável tem alterado pequenos hábitos cotidianos nas organizações. Na Decolar.com, maior agência online de viagens da América Latina, uma máquina que oferecia chocolates foi substituída por outra, que fornece frutas, barras de cereais, iogurtes e lanches saudáveis. De acordo com a gerente de RH, Andrea Leomil, a empresa distribuiu um cartão, sem custo para o trabalhador, que permite a ele a opção de se alimentar melhor. “São cinco máquinas, nas duas unidades, abastecidas diariamente”, diz.

Segundo Andrea, a ideia de trocar os chocolates por alimentos saudáveis é uma medida de prevenção e um trabalho de conscientização. “Nós fizemos uma divulgação interna e procuramos mostrar os benefícios da alimentação saudável”, afirma. De acordo com a executiva, a ação foi bem recebida pelos colaboradores. “Eles não abandonaram completamente o chocolate, mas passaram a comer mais frutas.”

 


*Essa notícia foi publicada no site Canal RH, em 18/04/2013

Comentários