”Geração de emprego leva o país a momento especial”, diz Lupi

Data 31/01/2012

 

O TIC Empresas 2009, estudo divulgado pelo CGI.br, nesta terça-feira, 04/05, constatou que 93% das corporações brasileiras já usam a Internet no dia-a-dia, mas a velocidade de conexão ainda é baixa, para os padrões internacionais de boas práticas em TIC.

A banda larga acima de 2 Mbps ainda é distante da maior parte das empresas – a maior parte usa entre 256 Kbps e 2 Mbps – apesar de ter existido um impulso de 10% em 2008, para 16%, em 2009. Um dos entraves é o custo de contratação do link de maior velocidade, apura o CGI.br. Cerca de 12% das empresas ainda usam velocidades abaixo de 300 Kpbs.

"Com certeza, ainda são poucas as empresas que usam velocidade acima de 2 Mbps no país. A maior parte fica entre 256Kbps e 2 Mbps. Muito em função do custo da conexão, mas é fato também que precisamos entender melhor essa realidade", disse Alexandre Barbosa, gerente do CETIC.br e responsável pelo levantamento TIC Empresas 2009, que ouviu 3700 empresas de todos os portes, entre agosto e outubro do ano passado.

Segundo o ministro do Trabalho, recordes na abertura de postos com carteira assinada e de aumento real do salário são conquistas do trabalhador brasileiro

Ao participar nesta terça-feira de sessão solene na Câmara dos Deputados, em Brasília, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, disse que o Brasil vive um momento especial por conta das contratações com registro em carteira e ganho real do salário.

"Desde 2003 até março deste ano, foram gerados 12,4 milhões de empregos. Isso significa 40% do estoque existente no país. Enquanto no auge da crise internacional os Estados Unidos estavam demitindo, o Brasil contratava", relatou.

Lupi também destacou o ganho real de salário do trabalhador. Segundo ele, houve aumento real de 74%, causando forte impacto positivo na economia brasileira. "O que pais conseguiu nos últimos sete anos é algo inegável. Essas conquistas são dos trabalhadores brasileiros".

Sobre o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), o ministro ressaltou alta de 169% na arrecadação, chegando a R$ 230 bilhões. "É dinheiro do trabalhador. Esse dinheiro serve para financiar casas, programas de moradia".

Organização sindical – Durante apresentação, Lupi mencionou os avanços nas organizações sindicais, e afirmou que os sindicatos passaram a ser ouvidos. "Por isso digo: se organizem, questionem. Esse é o processo da sociedade. É esse o caminho. Nada está tão atual quanto a CLT", disse Lupi.

Essa notícia foi publicada no Ministério do Trabalho e Emprego, em 04/05/10.