Gerações: um tema muito além dos rótulos e estereótipos

Data 24/03/2017
várias gerações nas empresas

várias gerações nas empresas

Por Sidnei Oliveira*

Quando iniciei os debates sobre o tema Geração Y no Brasil, não foi difícil encontrar opiniões resistentes ao conceito. Afinal, caracterizar uma geração é sempre um caminho delicado, pois pode incorrer em generalizações e estereótipos que não auxiliam em nada o debate. Certamente não foi esse o caminho proposto e o contexto atual demonstra que, apesar de algumas distorções e exageros, o debate amadureceu de forma consistente. Felizmente!

Nos últimos anos, vimos o tema ganhar importância no cenário global e, por consequência, no Brasil. Isso mostra que estamos experimentando um novo momento na construção dos modelos de gestão no país, que está deixando de apenas “importar” e passa a desenvolver nossas próprias convicções diante de cenários e tendências mundiais. Em muitos casos, são os nossos modelos que estão sendo “exportados” e até servindo de referência para outros países.

O tema Geração Y conseguiu priorizar a discussão sobre a importância do jovem profissional e de suas expectativas no ambiente de trabalho. Conceitos como equilíbrio entre a vida pessoal e profissional adquiriram novos olhares depois dos debates sobre os comportamentos dos jovens nas empresas. Além disso, o crescimento nas taxas de rotatividade das empresas puderam ser melhor entendidas e novas soluções surgiram na gestão de pessoas.

O debate sobre gerações também contribuiu na questão do aumento na expectativa de vida das pessoas. Isso proporcionou melhor entendimento quanto aos conflitos de gerações, absolutamente inevitáveis quando se observa maior diversidade nas idades dos profissionais que precisam interagir diariamente nas empresas.

Quase intuitivamente, já se conclui que os profissionais veteranos precisam planejar uma segunda carreira abrindo espaço para que os desafios sejam superados pelos mais jovens. Na verdade, o tema Geração Y proporcionou o amadurecimento de outro tema que é a questão da mentoria, cujo debate também está se ampliando no Brasil e no mundo.

O título Geração Y é realmente um rótulo, mas muito oportuno e que terá sempre o mérito de ter despertado a atenção de gestores, pais, professores e educadores para um novo cenário que se configura e que certamente irá modificar o mundo.

*Sidnei Oliveira é mentor, escritor e consultor de carreira, expert em Conflitos de Gerações, formação de mentores e no exercício da mentoria para o desenvolvimento de Jovens Potenciais. Autor de vários livros sobre Liderança e dos best-sellers da série Geração Y. Atualmente é presidente da Escola de Mentores, vice-presidente do Instituto Atlantis de preservação ambiental e co-idealizador da iniciativa “Café Insights”.

 

Compartilhe:

Comentários