Honrar os valores, uma questão de integridade

Data 17/11/2010

*Por Paulo Alvarenga

Desde os primórdios dos tempos até hoje, temos vários exemplos sobre grandes líderes que jamais abriram mão de seus valores e, com isso, tornaram-se grandes exemplos do que pregavam. Dessa forma, eles geraram modelos a serem seguidos e copiados, construindo ambientes que motivam as pessoas, pois, no final das contas, é isso o que os grandes líderes fazem: criam um motivo que leva as pessoas partirem à ação.

Quando vivenciamos aquilo que ensinamos, criamos esses motivos. Meu pai é do interior de Minas Gerais e ele sempre me ensinou algo que hoje entendo a profundidade do que me dizia: “A palavra move e o exemplo arrasta”. Nos dias de hoje exige-se cada vez mais engajamento total para alcançar resultados extraordinários, os profissionais ligam os seus pilotos automáticos e não se dão conta do que fazem e nem percebem quando, de certa forma, violam os seus valores e os valores da organização.

Tenho percebido em todos os treinamentos de liderança que ministro e até mesmo com os meus coachees (profissional que participa de um processo de coaching) que está cada vez mais difícil honrar os valores e, quando isso acontece, gera uma insatisfação terrível.

Em janeiro de 2009 fiquei na Califórnia para me atualizar com alguns cursos de liderança e gestão. Uma das tarefas que me foi dada era estudar a vida de um executivo de sucesso e montar uma palestra sobre o seu estilo de gestão e quais eram os diferenciais dele como líder. Escolhi o Jack Welch. Já gostava dele e me aprofundei na sua história de vida, foi quando descobri algumas coisas fantásticas e simples sobre o seu estilo de gestão. Jack Welch tinha aquela célebre frase: “eu contrato o caráter e a pessoa eu treino”, ele valorizava todos os que vivenciavam os valores da empresa e desligava quem não respeitava os valores da organização, mesmo se essa pessoa trazia resultados.

A mudança mais importante que vem ocorrendo é que estamos voltando a valorizar as coisas bem simples nas empresas. Resultado acima de tudo é algo que está cada vez mais saindo de cena e abrindo espaço para os profissionais que, além de terem valores congruentes com os da empresa, não abrem mão deles. Assim, é claro, esses profissionais conseguem se engajar e mobilizar as pessoas para alcançarem resultados extraordinários, pois pessoas assim são admiráveis.

Para começar a refletir sobre isso, você pode pensar sobre o que é mais importante para você na vida? Simplesmente isso: a coisa mais importante é saber qual é a coisa mais importante. Por mais que essa afirmação possa soar ridícula e simplista, ela é absolutamente verdade em relação à vida. Talvez muitos de nós não consigamos nos realizar não porque não estejamos fazendo as coisas que são convenientes, mas porque nós não estamos fazendo as coisas mais convenientes para nós.

Pense nas seguintes perguntas: o que você faria se descobrisse nesse momento que restam apenas seis meses de vida para você? Reflita seriamente a respeito, pois muitas pessoas esquecem que um dia morrerão e criam uma expectativa de vida ilusória, procrastinam aquilo que é mais importante. Após responder a essa pergunta, verifique sua resposta e analise tudo o que você respondeu. Pense agora quanto por cento você se dedica para fazer isso hoje? Nesse momento você pode encontrar algumas respostas para as suas insatisfações ou até mesmo para as suas satisfações.

Se não tomarmos as rédeas de nossas vidas e vivenciarmos os nossos valores, o mundo acaba conspirando para que não encontremos as nossas próprias respostas. As pessoas querem que acreditemos nas respostas delas como sendo ideais, mas, em alguns momentos, devemos parar de reunir informações vindas do nosso exterior e olhar para nós interiormente, ouvir a
nossa voz. Muitas pessoas temem o que há por dentro. São pessoas que não conseguem ficar sozinhas, quando chegam em casa já ligam a TV, precisam estar sempre rodeadas por outras companhias pois, talvez sozinhos, não suportariam escutar a sua própria voz, porque pode machucar e fazer você enxergar coisas que não quer. É nesse momento que as pessoas começam a se questionar e, normalmente, sentem um vazio enorme.

A porta da mudança só pode ser aberta pelo lado de dentro e, querer mudar ou não é uma escolha. Para tomar essa decisão podemos fazer alguns questionamentos que nos ajudam a descobrir o que é realmente importante para nós, por exemplo:

  • Você acredita que pode ser mais competente do que é?
  • O que te motiva?
  • Como você se sente quando está motivado?
  • O que te impede de se motivar?
  • Se você pudesse mudar alguma coisa em sua vida agora, o que mudaria?
  • O que você faria se o sucesso fosse inevitável?
  • O que é mais importante para você na sua vida?

Dessa forma você entrará em contato com os seus principais valores, que são estados emocionais, formados com base na nossa experiência de vida, que nos fazem agir do jeito que agimos. São os motivos que nos fazem experimentar (ir em direção a) ou evitar (afastar-se de).

  • Os valores que nos fazem ir em direção a são os que nos trazem satisfação, como: amor, felicidade, sucesso, liberdade, respeito, segurança etc. Esses podem ser chamados de valores “finais”.
  • Os valores de afastar-se de são valores ou estados emocionais que algumas pessoas fazem de tudo para evitar, como: rejeição, depressão, raiva, preocupação, frustração, ciúme etc.

Além disso, existem os valores do “meio”, que é quando focamos em coisas como: carro, casa, dinheiro, casamento etc. Nesse caso algumas pessoas terceirizam as suas felicidades a essas coisas, mas o mais importante é identificar o como de fato essas coisas lhe trarão prazer. Só assim chegamos ao valor “final”.

Acontece que, infelizmente, muitas pessoas gastam quase 80% da sua energia evitando o que não gostaria de sentir, ao invés de investir a sua energia para ir em direção a, em direção aos valores “finais”. Então, vamos colocar em prática esse momento de autoconhecimento respondendo as seguintes perguntas:

  1. O que é mais importante para você na sua vida? Quais são os seus principais valores para ir em direção a? Por exemplo: amor, saúde, poder, crescimento, aventura, liberdade, família, contribuição, humor, simplicidade, fraternidade, amizade, desafio etc.
  2. Reescreva os seus valores para ir em direção a, em ordem de importância. Qual é o valor número 1, aquele do qual você não abre mão, aquele que é mais importante do que tudo e depois enumere com 2, 3, 4 e assim por diante.
  3. Coloque uma nota de 1 até 10 em cada um dos valores escolhidos, sendo que quanto mais alta a nota, mais você honra ou vivencia esse valor na sua vida hoje.
  4. Escolha um valor que gostaria de aumentar essa nota e defina três ações práticas para maior vivenciá-lo.
  5. Relacione todos os sentimentos e emoções negativas que você faria praticamente qualquer coisa para evitar. Por exemplo: rejeição, depressão, raiva, preocupação, frustração, ciúme etc.
  6. Reescreva os valores para afastar-se de, em ordem de importância, começando com aquele que você faria o máximo para evitar.
  7. Agora é hora de examinar suas regras ou modelos mentais para esses valores, ou seja, o que tem que acontecer para que você sinta essas emoções? Por exemplo, se o amor é um dos seus valores, o que tem que acontecer para você se sentir amado? Para algumas pessoas se sentirem amadas, todas as pessoas com quais ela se relaciona devem gostar dela e elogiá-la constantemente. Em relação ao afastar-se de, o que precisa acontecer para que você não sinta essas emoções? Por exemplo, para algumas pessoas quando outras pessoas não concordam com elas, elas se sentem rejeitadas ou pensam “todos devem gostar de mim”. É importante compreender as regras que você tem para se sentir mal. Algumas pessoas fazem com que seja muito difícil se sentir bem e muito fácil se sentir mal.
  8. Quais regras novas e fortalecedoras você pode incluir em sua vida para que tenha apoio para ir em direção dos valores que mais deseja e se afastar dos valores que quer mais evitar?

Exemplos de regras que deveriam ser mudadas:

  • “Só serei feliz se ficar rico”
  • “Os profissionais excelentes não erram”
  • “Para que eu me sinta amado, todos devem concordar comigo”
  • “Preciso comprar uma esteira para ser saudável”
  • “Sem dinheiro não podemos nos divertir”
  • “Eu nasci assim, não vou mudar”
  • “É impossível ser saudável em cidades grandes”
  • “Só serei feliz quando eu me casar”

Exemplos de regras para valores de ir em direção a de e afastar-se de:

  • “Eu me sinto saudável sempre que caminho 15 minutos por dia”
  • “Eu fico mais bem-humorado quando me alimento de forma saudável”
  • “Eu me sinto realizado quando sou bom ouvinte”
  • “Eu me satisfaço quando desenvolvo pessoas”
  • “Eu fico feliz quando entendo as pessoas e me coloco no lugar delas”

Após toda essa reflexão acredito que você se tornará, no mínimo, mais atento aos comportamentos que são congruentes com os seus valores. Tornar-se um ser humano integral é viver verdadeiramente os valores que fazem bem a você e as pessoas ao seu redor.

Boa reflexão!

Sócio Diretor da Crescimentum, um dos autores do livro “Gigantes da Liderança”, Paulo Alvarenga é professor de pós-graduação e MBA em Gestão de Marketing na GAMA FILHO nos temas: Coaching, Liderança, Comunicação e PNL. Certificado em “Managing Energy”, Executive Course pelo Human Performance Institute, na Flórida, e em “Experience Management – Marketing & Sales, pela University of California.