Jovens podem influenciar no sucesso de projetos

Data 30/01/2012

 

Atualmente, os jovens de 17 a 26 anos ocupam cerca de 25% da força de trabalho nas empresas que desenvolvem todos os tipos de projetos.

São os estagiários, trainees, profissionais juniores ou recém-formados massivamente influenciados pela internet e novas tecnologias. Segundo Volney Faustini, especialista e consultor nas áreas de Marketing, Vendas e Inovação Empresarial, esses são os chamados Nativos Digitais.

Um dos requisitos necessários para alavancar o sucesso de qualquer tipo de projeto é entender as necessidades da equipe. Saber lidar com os Nativos Digitais é, portanto, fator determinante para a Gestão de Pessoas do projeto. “Efetivamente a onda que permeia e influencia essa geração cria normas de conduta, procedimento e comportamento. São características que se distinguem dos mais velhos e são relacionadas à rapidez de informação, alta conectividade, quebra de barreiras e personalização. Por isso, é importantíssimo que o gerente entenda as diferenças para lidar de maneira diferenciada com esses jovens. A chave da inovação está aí!”, comenta Faustini.

Caracterizados recentemente com oito qualidades fundamentais, a geração nascida a partir da década de 1980 absorve: Liberdade, Personalização, Colaboração, Análise Criteriosa, Integridade, Diversão, Rapidez e Inovação. Saber lidar com essas características traz uma equipe antenada às novas tendências e oferece alternativas eficazes aos projetos, bem como maior competitividade e aderência ao mercado e ao futuro.

Empresas que valorizam o potencial inovador que essa geração proporciona são agentes da transformação e criam subsídios para acompanhar as mudanças sociais com segurança. Apesar de óbvia, essa afirmação é ainda contrariada pela prática da maioria das empresas. “As empresas e os profissionais da alta hierarquia precisam entender que o mundo corporativo não é mais marcado pela linearidade e previsibilidade. Acabou a era do comando e controle. É preciso, então, pegar o que tem de melhor na nova geração e somar aos pontos positivos que a geração antecessora traz: maturidade, responsabilidade, paciência, visão sistêmica, sabedoria, fundamentação técnica, conhecimento e experiência. Está na hora de jogarmos em equipe”, completa.

Essa notícia foi publicada no RH Central, em 27/08/10.