LG Sistemas mantém crescimento e fatura 38,2 milhões em 2010

Data 19/01/2011

 

Acompanhando o bom momento da economia brasileira, a LG Sistemas encerrou o ano de 2010 com faturamento de R$ 38,2 milhões, o que representa um crescimento de 11% em relação a 2009. O percentual alcançado ficou dentro do projetado no início de 2010.

Na opinião de Gustavo Teixeira, diretor de mercado da LG, este crescimento se deve ao grande esforço da LG em estar sempre atenta às necessidades dos clientes, mantendo seus produtos e serviços alinhados com as expectativas. “A LG investe muito em pesquisa e desenvolvimento e se dedica enfaticamente a inovações em produtos e processos, na busca de melhorias que possibilitem benefícios aos clientes. Fazemos também grandes investimentos na formação de pessoal, importante fator de geração de valor, pois somos uma empresa prestadora de serviços”, reitera Gustavo.

Todo esse esforço resultou, em 2010, na conquista de importantes clientes, como Renner, Carioca Engenharia, SINOBRAS e Supermercado Nordestão. Além disso, a empresa foi eleita pela quarta vez Top of Mind de RH, na categoria sistema de folha de pagamento, e ainda conquistou outros prêmios como: 100 melhores fornecedores para RH, Fornecedores de Confiança, 200 PMEs que mais crescem no País, entre outros.

Além dos méritos da LG, o diretor também lembra o momento favorável da economia brasileira, que mantém a demanda aquecida e possibilita visão de longo prazo: “Isso significa que podemos hoje, graças à estabilidade econômica e às sólidas expectativas de crescimento para os próximos anos, nos preparar melhor para os desafios que se apresentam”.

Em 2011, a LG Sistemas pretende manter as estratégias dos últimos anos: melhorias contínuas nos processos operacionais e gerenciais e inovações permanentes nos produtos e processos. Além dessas medidas constantes, há ainda um importante projeto de renovação total dos produtos, visando à ampliação de mercado através da internacionalização e da oferta no modelo de software como serviço (SaaS). E o diretor não se esquece do bom momento do mercado de recursos humanos: “Com o crescimento das empresas nos últimos anos e com as boas expectativas para os próximos, há uma necessidade de melhor estrutura, o que beneficia empresas como a nossa, que estão aptas a lidar os desafios que o futuro está prometendo”.