Liderança e os jovens nas empresas

Data 02/03/2015

 *Eduardo Ferraz

Segundo estudo da rede social LinkedIn, o Brasil é o segundo país que mais contrata recém-formados no mundo. O alto índice, de 87%, demonstra o quanto as empresas estão atraindo os mais jovens, até pela falta de mão de obra qualificada, no entanto, elas ainda falham ao não reconhecerem o que realmente motiva esses profissionais.

Bom relacionamento com a equipe e com o chefe é considerado por eles mais importante do que plano de carreira acelerado, desenvolvimento profissional e até a remuneração.

Na verdade o que o jovem quer é sentir que faz a diferença, e para isso precisa ter liberdade para se expressar abertamente. Isso só é possível onde haja uma cultura meritocrática, onde os melhores, os que mais produzem, sejam valorizados independente da idade.

Foi-se o tempo em que o jovem se contentava em receber ordens para garantir o emprego. Nesse sentido, o líder tem um papel fundamental, pois ele tem que ser participativo, saber unir, investir tempo no relacionamento com sua equipe, a fim de motivá-la.

O especialista ressalta ainda que um bom ambiente de trabalho é fundamental e é o chefe quem dá o tom deste ambiente. O que mais motiva qualquer ser humano é o exemplo, por isso, o papel do líder também se torna essencial no engajamento do colaborador dentro da empresa e na construção de um ambiente saudável. Se o líder diz que o colaborador tem que ser determinado, paciente, perseverante e ele é impaciente, intolerante e não ter perseverança nenhuma, ele está sendo incoerente e acaba perdendo a autoridade. Logo, não existe melhor maneira de engajar alguém dando o exemplo.

* Eduardo Ferraz é consultor em Gestão de Pessoas há 25 anos e especialista em treinamentos usando como base a Neurociência comportamental. Acumula mais de 30.000 horas de experiência prática em empresas de vários segmentos.  É pós-graduado em Direção de Empresas e autor dos livros “Por que a gente é do jeito que a gente é?”, “Vencer é ser você” e “Seja a pessoa certa no lugar certo”, pela Editora Gente. 

Comentários