Média salarial do trabalhador com deficiência é superior à média geral

Data 30/01/2012

 

Diferencial está na remuneração dos trabalhadores reabilitados, deficientes auditivos e físicos

Em 2009, o rendimento médio das pessoas com deficiência (R$ 1.670,46) foi superior à média de rendimento geral (R$ 1.595,22). O diferencial está na remuneração média dos trabalhadores reabilitados (R$ 1.866,29), com deficiência auditiva (R$ 1.765,20) e com deficiência física (R$ 1.680,98). Os assalariados com deficiência mental recebem os menores rendimentos (R$ 713,91). Os dados são da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) 2009.

Os trabalhadores com deficiência auditiva apresentaram a maior diferença (58,3%) entre os rendimentos recebidos, segundo o gênero (R$ 2.048,25 para os homens e R$ 1.194,03 para as mulheres). Entre as pessoas com as demais deficiências, a disparidade entre os rendimentos médios recebidos por ambos os gêneros, foi menor, variando de 74,8% para os deficientes físicos a 87,2% para os assalariados com deficiência mental.

Do total de 41.207.546 milhões de vínculos trabalhistas ativos, registrados em 31 de dezembro de 2009, as pessoas declaradas com deficiência eram 288.593 mil (0,7% do total). Sendo que destas, as com deficiência física representavam (54.68%), auditiva (22,74%); visual (4,99%); mental (4,55%); múltiplas (1,21%) e reabilitados, (11,84%).

Escolaridade – Do total de 288.593 trabalhadores com deficiência, em 31 de dezembro do ano passado, 110.117 tinham Ensino Médio completo; 40.890l a oitava série completa do Ensino Fundamental; 32.663, ensino Superior Completo. Os trabalhadores com deficiência, analfabetos, eram apenas 3.007.

Gênero – Considerando-se o gênero, os homens tiveram uma maior representatividade em todos os tipos de deficiência, em relação à inserção no mercado de trabalho formal, no ano passado (65,57%), aumento de 64,32% em relação a 2008. Aqueles com deficiência física representavam (63,91%); com deficiência auditiva (66,78%); visual (65,21%); mental (72,86%); e múltiplas (69,74%).

Essa notícia foi publicada no Ministério do Trabalho e Emprego, em 10/08/10.