fbpx

Mérito a quem merece

Data 03/04/2013

*Por Fábio R. Lais

Uma vez eu li uma frase que dizia “Se você está se sentindo sozinho(a), abandonado(a), achando que ninguém liga para você… Atrase um pagamento”. É uma realidade, não é mesmo?!

Porque praticamente nenhuma empresa liga para seus melhores pagadores para agradecê-los ou valorizá-los por isso?

É comum quando estou numa consultoria, peço para o dono da empresa ou da loja me mostrar o cadastro de clientes e ele me responde que só tem o cadastro do crediário, ou seja, ele só conhece quem paga parcelado ou quem não paga. Quem paga a vista ele não tem no cadastro! Não sabe onde mora! Não conhece os gostos! Não tem sequer como ligar e dizer “volte a comprar, nós temos novidades!”.

Esse é um dos grandes dilemas da humanidade.

É costume do ser humano lembrar pessoas que devem, que não fazem, que não vieram, que erraram, que esqueceram, que decepcionaram, enfim.

Por acaso, você já recebeu alguma ligação da empresa de energia elétrica, telefonia, plano de saúde, do seu Banco, da loja onde você compra roupas ou do posto de gasolina dizendo “Obrigado por ser um ótimo cliente e fazer sua parte”? Provavelmente não.

Em algumas festas de empresa, o patrão costuma dar mais importância para a lista dos ausentes do que valorizar os que vieram. Ele quer a cabeça de alguém! Ingratos!
Não se valoriza devidamente quem acerta!

Tudo que se faz de bom, muitas vezes se perde por um ato falho.Um trabalhador cumpre sua jornada impecavelmente durante anos, sem receber méritos, agradecimentos, sequer um sorriso de seus superiores, porém, quando falha, é repreendido severamente pelo maior número possível de pessoas.

Algumas pessoas dizem que não elogiam porque vão “estragar” o outro. Oras, e quando esse outro erra, criticá-lo vai “melhorá-lo”?

Eu costumo brincar com minha esposa e minha mãe sobre esse assunto. Algumas vezes que não escrevo a coluna e reproduzo textos de outros autores, elas sempre reclamam, dizem que gostam de ler quando eu mesmo escrevo, enfim, me cobram. Quando eu escrevo algo que não fica tão bom, elas também apontam. Mas quando eu escrevo e elas gostam, não me falam nada! Eu preciso perguntar “e aí, gostaram do texto desta semana?”.

Você, Gestor de pessoas, não espere para dar os méritos para quem os merece. Não mine a autoestima de seus colaboradores achando que “jogar confete” vai estragá-los. Muito pelo contrário! É como dizer “você está no caminho certo e eu aprovo!”.

Não se trata de mimar. Isso não faz bem a ninguém, nem mesmo ao mimado. Trata-se de dar mérito a quem o faz por merecer.

Cabe aqui citar mais uma vez uma frase que eu gosto muito e carrego sempre comigo, que também quero dedicar a todos que exercem cargos de liderança, que gerenciam pessoas, que cuidam de seres humanos, que são pais, mães, avós, enfim, para todo mundo “Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito” (carta de Laudicéia, citada no Apocalipse).
 
O pior companheiro é o que não ri nem chora.
O pior jogo é o zero a zero.
A pior palavra é a que não vem seguida de nenhuma expressão facial.
O pior para quem é liderado é não saber se está sendo observado por admiração ou desconfiança.
O pior para quem quer uma resposta é a esmagadora ansiedade da espera.
O pior fracasso é o fracasso do meio termo.

*Fábio R. Lais é proprietário da Turnover Consultoria, palestrante, docente do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) e professor Universitário. Ministrou mais de 350 palestras, cursos e treinamentos relacionados à motivação pessoal e corporativa, qualidade de vida, liderança, técnicas comerciais, atendimento à clientes, planejamento estratégico, comprometimento, memorização, entre outros. Graduado em Administração de Empresas, pós-graduado em Recursos Humanos e Psicologia Organizacional.

Compartilhe:
Comentários