O colapso da mão de obra qualificada

Data 23/12/2009

 

Nossas escolas, além de não estarem ensinando o pensamento de forma universal – há uma predominância do pensamento de esquerda, existe ainda uma tendência a favorecer o estudante de tal forma a auxiliá-lo a passar de ano a qualquer custo. O resultado é que temos profissionais que pensam somente em ser empregados – ao invés de empreender – despreparados, com baixa capacidade de adaptação e resiliência.

O mundo está mudando cada vez mais rápido e algumas tendências apontam para um ambiente empresarial complexo composto por: negócios sustentáveis, preocupação ecológica, uma urbanização cada vez mais intensa, uma conexão de ideias jamais pensada, os mundos virtual e real se fundindo em uma experiência única.

Quem está preparado para adaptar-se continuamente a ele, enfrentá-lo e influenciá-lo? 

Ou os líderes preparam as pessoas, ou ninguém mais o fará. Preparar pessoas ainda é a tarefa mais árdua e relevante que existe. Mas, tendo em vista a dificuldade de prever diante desta complexidade de nossa evolução, preparar para quê?

Líderes autênticos transformam os indivíduos que os cercam em líderes, não em seus seguidores. Dão a eles condições para direcionarem suas vidas, pois ou o fazem, ou seus liderados serão levados por outras pessoas, acontecimentos, costumes e cultura, mesmo que estes sejam indesejáveis, cruéis e anacrônicos. Sendo assim, liderar é preparar pessoas para que tenham a vida que desejam e não a que lhes é imposta por estes fatores.

Ao fazê-las pensar sobre como liderar suas próprias vidas, dão a elas as condições para que se interessem no aprimoramento contínuo. A qualificação contínua deve ser um hábito criado ainda na academia. Jamais teremos mão-de-obra qualificada em quantidade se o indivíduo chegar à fase adulta achando que os outros – governo principalmente – são responsáveis por sua qualificação, ensino e evolução. As novas tecnologias colocaram o conhecimento à disposição de quem se interessar por ele. Cada vez mais, será a capacidade do indivíduo de refletir sobre o futuro e como ser relevante nele que irá dar-lhe as respostas que precisa para sua própria qualificação.

Verdadeiros líderes, formam outros líderes! Esta é a qualificação que todos precisam. Vamos em frente!

Fonte original do artigo: http://oglobo.globo.com/blogs/elevador/default.asp?a=715&periodo=200911

Coach de executivos, Silvio Celestino é diretor da Enlevo – Treinamento para Líderes, e VP do Chapter São Paulo da Federação Internacional de Coaches.