O poder do envolvimento total na liderança

Data 22/03/2011

* Por Paulo Alvarenga

Há muito tempo pesquisando, estudando, exercendo e ensinando sobre liderança, percebo que cada vez mais a busca pela alta performance se torna imprescindível para se tornar um líder extraordinário. Pude constatar isso em Orlando, nos Estados Unidos, no Executive Course do Human Performance Institute, onde eu e Arthur Diniz participamos do programa de Alta Performance baseado no livro The Power of Full Engagement de Tony Schwartz e James E. Loehr. Esse treinamento tem como objetivo maior tornar os profissionais “atletas corporativos”.

O conceito é treinar como os atletas, buscar superar os limites com o estresse positivo, sair realmente da zona de conforto e promover uma de desconforto para se tornar o que os autores chamam de Fully engaged, expressão que quer dizer “envolvido totalmente”, ou seja, fisicamente energizado, emocionalmente conectado, mentalmente focado e espiritualmente alinhado.

Os líderes devem se tornar atletas corporativos para alcançar resultados extraordinários, utilizando os quatro princípios básicos de gerenciamento da energia:

Princípio 1 – A alta performance é consequência de uma gerência hábil da energia em todas as dimensões.
Princípio 2 – Como a capacidade energética diminui tanto com o uso quanto com a falta de uso, devemos, então, equilibrar o consumo de energia com a renovação energética.
Princípio 3 – Para acumular capacidade, devemos ir além dos nossos limites normais treinando da mesma forma sistemática que os atletas de elite treinam.
Princípio 4 – Rituais positivos de energia e rotinas altamente específicas para administrar a energia são a chave para o engajamento total e para a alta performance sustentada.

A mudança ocorre através de alguns passos. O primeiro deles é a mudança de alguns paradigmas: 
 

Velho paradigma Novo paradigma
Administrar o tempo Administrar a energia
Evitar o estresse Buscar o estresse
A vida é uma maratona A vida é uma série de corridas
Tempo parado é tempo perdido Tempo parado é tempo produtivo
As recompensas alimentam o desempenho Um propósito alimenta o desempenho
Regras de autodisciplina Regras de rituais
Pensamento positivo Engajamento total
 

Depois, precisamos entender o que reflete as quatro fontes de energia:

  • A capacidade física se reflete na habilidade de gastar e recuperar a energia no nível físico e é definida em quantidade;
  • A capacidade emocional se reflete na habilidade de gastar e recuperar a energia no nível emocional e é definida em termos de qualidade;
  • A capacidade mental se reflete na habilidade de gastar e recuperar a energia no nível mental e é definida em termos de foco;
  • A capacidade espiritual se reflete na habilidade de gastar e recuperar a energia no nível espiritual e é definida em termos de força.

Em vários treinamentos que ministramos, colocamos de forma pragmática a importância da prática de exercícios físicos para todos os profissionais, principalmente para os líderes. Esses devem ser exemplos de atitude e comportamento. Vi nesse conceito do “Envolvimento total” a importância dada à energia física, que é a fonte fundamental de combustível, pois ela afeta a nossa capacidade de administrar nossas emoções, sustentar a concentração, pensar criativamente e até mesmo, manter nosso envolvimento em qualquer missão da qual estejamos imbuídos.

Num estudo com oitenta executivos durante nove meses, aqueles que faziam exercícios físicos regularmente demonstraram uma melhora de 70% em sua capacidade de tomar decisões complexas, comparados aos que não faziam exercícios.

Para o envolvimento total, devemos ter em mente que a fonte de energia mais importante é a física e a mais significativa é a espiritual. Vamos colocar em prática com algumas etapas:

  • Criar um propósito, ou seja, uma missão;
  • Estabelecer a situação atual, especificando onde é gasta atualmente a sua energia, descrevendo a sua velha história, que é a descrição específica de como você funciona;
  • Descrever a nova história com os benefícios;
  • Criar um plano de ação com rituais positivos que sustentam a nova história;

Com essas etapas, devemos aos poucos e com pequenas mudanças de hábitos, através dos rituais positivos de gerenciamento de energia, gerar mudanças significativas em nossas vidas, pois esses rituais fazem com que treinemos a nossa missão.

Para manter uma pulsação poderosa em nossas vidas, devemos aprender como, de maneira rítmica, gastar e renovar a energia. Uma vez que superamos os ritmos naturais definidos em nossas vidas, nosso desafio é, consciente e deliberadamente, criar novos limites.

O líder do futuro é também um “atleta corporativo” e o seu papel mais importante é ser o presidente da sua energia. E você? Quanto está treinando a sua missão?

Paulo Alvarenga é sócio diretor da Crescimentum, um dos autores do livro “Gigantes da Liderança”. Professor de pós-graduação e MBA em Gestão de Marketing na GAMA FILHO dos temas: Coaching, Liderança, Comunicação e PNL. Certificado em “Managing Energy”, Executive Course pelo Human Performance Institute, na Flórida.