O que é coaching?

Data 22/07/2013


*Por Paulo Alvarenga

 

Muitos de vocês provavelmente já devem ter escutado tudo a respeito da definição, origem da palavra e visto comparações entre o processo de coaching e terapia ou algo parecido. Para clarificar o que é essa ferramenta fantástica (capaz de levar pessoas e profissionais a alcançar resultados tangíveis e desejados) vamos simplificar sua definição.

Começaremos pela origem da palavra. A palavra coaching surge em 1.500, na Inglaterra para denominar um tipo particular de carruagem que servia para transportar pessoas. Já em 1.850 as Universidades inglesas passaram a usar o termo para se referirem a um tutor, ou seja, o profissional que auxiliava os estudantes a se prepararem para os exames. Entre 1.930 e 1.940, o termo assumiu o significado de tutor particular e, só em 1.950, o coaching foi adotado para a literatura gerencial, classificado como uma habilidade própria da liderança e, com o tempo, transformou-se no Executive Coaching que conhecemos atualmente.

Agora que sabemos a origem da palavra, fica mais fácil entender a sua definição e o motivo pelo qual vários profissionais procuram um coach para ajudar em sua vida pessoal, profissional, sua carreira e para desenvolver inúmeras competências, como: comunicação, planejamento, liderança, vendas, negociação entre tantas outras.

O processo de coaching profissional é conduzido por um objetivo básico: o relacionamento capaz de ajudar pessoas a produzirem resultados de alta performance. A interação entre o coach (profissional que realiza o processo) e o coachee (o cliente) faz com que esse último descubra seus sonhos, metas e um potencial antes desconhecido e inexplorado. Ajudar as pessoas a transformarem seus sonhos em planos de ação e não perderem nem foco e nem ânimo durante o processo é a missão do coach. Missão esta que é movida pelo profundo desejo do coach em elevar pessoas, líderes, pais, filhos etc ao patamar do extraordinário.

O Coach usa a sua habilidade em escutar ativamente o seu cliente e faz as perguntas necessárias para que ele, entenda melhor o problema. Galileu Galilei viveu no século XVI, mas já antecipava a tarefa do coach com a frase: “Você não pode ensinar algo a um homem. Você pode somente ajudá-lo a descobrir sozinho”. 

Existem alguns pressupostos sobre o coaching que nos ajudam a entender esta filosofia, são eles:

1: O coachee é naturalmente criativo e possui todos os recursos necessários. Todos nós possuímos as informações, as estratégias desenvolvidas e as respostas que construímos ao decorrer da vida e que nos ajudaram e ainda nos ajudam por muitas vezes. Entretanto, em algumas situações essas respostas e soluções são esquecidas e o coach ajuda o coachee a acessá-las.

2: O coach tem as perguntas e o coachee tem as respostas.

3: Você não tem a obrigação de saber tudo. Se você quer explorar a criatividade de alguém, use a sua ignorância como arma.

Agora que já entendemos um pouco sobre o que é coaching, vamos atentar para como ele funciona formalmente. O processo é basicamente esse: uma pessoa contrata um coach para atingir alguns objetivos. Todo o processo pode variar entre 10 a 12 sessões, com periodicidade quinzenal ou mensal, com duração de uma ou uma hora e meia.  Na primeira reunião, o coachee define qual será o seu objetivo com o processo e, a partir daí, o coach utiliza-se de perguntas e outras ferramentas de assessment (diagnóstico) para fazê-lo atingir seu objetivo. Todo o sucesso do processo consiste na dedicação do coachee: ele tem de estar focado e disposto a desenvolver a si mesmo.

Veja abaixo como funciona o processo:

O que é coaching?

 

*Paulo Alvarenga (P.A.) é Sócio Diretor da Crescimentum, um dos autores do livro “Gigantes da Liderança”. Professor de pós-graduação e MBA em Gestão de Marketing na GAMA FILHO nos temas: Coaching, Liderança, Comunicação e PNL. Certificado em “Managing Energy”, Executive Course pelo Human Performance Institute, na Flórida, e em “Experience Management – Marketing & Sales, pela University of California.

Compartilhe:

Comentários