Para recrutadores, preconceito contra cursos on-line é fruto de desconhecimento

Data 31/07/2012

"O que é levado em conta na hora da contratação é a demonstração de conhecimento acadêmico e o desempenho profissional", afirma Fernanda Campos, sócia-diretora da empresa de recrutamento M3.

O empresário Luiz Eduardo Moreira Caio, presidente da Metalfrio, confirma a mudança de comportamento. "Nossa preocupação com o fato de o candidato ter feito um curso presencial ou a distância é zero. O que consideramos na hora da seleção é a qualidade da instituição que o preparou".

Nem sempre foi assim. Sônia Luiza Martins, presidente da Associação Brasileira de Estudantes de Ensino a Distância, relata que, há cinco anos, eram comuns denúncias de discriminação contra os formados a distância, mas, segundo ela, o preconceito foi superado. "Desde 2010, não há casos registrados", afirma Luiza.

Com o mercado aquecido e a consequente carência de mão de obra capacitada, o empresariado abriu mais espaço para os formados por EAD. Hoje, o diploma a distância gera estranheza apenas entre as empresas muito conservadoras. "São casos isolados, que refletem desconhecimento do sistema. Quem conhece, contrata", diz Fernanda Campos. "O ensino a distância exige disciplina, organização, responsabilidade, planejamento e familiaridade com recursos tecnológicos. São características que agradam ao mercado de trabalho".

A atitude do candidato ao buscar o EAD para superar obstáculos como a ausência de boas instituições de ensino perto de casa ou a falta de tempo também é vista de forma positiva. Em um ponto, porém, os recrutadores avaliam que o profissional formado por EAD leva desvantagem.

O desenvolvimento de relações interpessoais com colegas e mestres é mais fácil no ensino presencial. "Em uma sala de aula, você exercita liderança, troca experiências, faz contatos e isso faz diferença", diz Fernanda. Para tanto, é essencial que os alunos participem dos chats, das atividades presenciais oferecidas pela instituição, formem redes sociais alternativas ou mesmo agendem regularmente encontros presenciais com outros estudantes.

 

Essa notícia foi publicada no site Folha Online, em 29/07/2012

Compartilhe:

Comentários