Pesquisa aponta aumento de “bullying” nas empresas dos EUA

Data 05/09/2012

O índice de profissionais que dizem ter sido vítimas de "bullying" nas empresas cresceu nos Estados Unidos. Uma pesquisa feita pela consultoria Harris Interactive indica que 35% das pessoas relatam já ter passado por esse tipo de situação constrangedora –o índice havia sido de 27% no ano passado.

O levantamento aponta que 16% desses profissionais sofreram problemas de saúde por causa do problema e que 17% decidiram deixar o emprego para escapar da situação.

O principal problema, apontado por 42% dos funcionários que dizem ter sido vítimas desse tipo de prática, é ser acusado falsamente por erros que eles não cometeram. Depois aparecem ser ignorado (39%) e ser tratado de forma diferente em relação aos colegas. 33% afirmaram serem criticados constantemente.

Rosemary Haefner, vice-presidente de recursos humanos do site CareerBuilder, que encomendou a pesquisa, diz que o modo como os profissionais definem "bullying" varia muito, mas em geral se trata de algo ligado a tratamento injusto por parte de chefes ou colegas.

"Isso pode ter um impacto significativo tanto sobre o indivíduo quanto para o desempenho da empresa. É importante citar incidentes específicos ao tratar do assunto tanto com o autor da agressão quanto com o responsável pela empresa, e focar-se em encontrar uma solução", diz, em nota.

 

*Essa notícia foi pullicada no site da Folha de São Paulo, em 04/09/2012

Comentários