Planejamento para 2011

Data 08/12/2010

LG: Por que planejar as ações em RH para 2011?

Marco Fabossi: Empresas de sucesso, que trabalham para consolidar e aumentar cada vez mais sua posição no mercado, pensam estrategicamente e, portanto, planejam. Não adianta, porém, elaborar o planejamento estratégico das diversas áreas da empresa como marketing, finanças, tecnologia, vendas e produção, se não houver um plano que inclua atenção, cuidado e desenvolvimento daqueles que terão a responsabilidade realizar este planejamento estratégico: as pessoas. Enquanto elas se empenham em buscar os resultados esperados, é preciso que sintam que alguém está cuidando delas. Um bom planejamento de RH, com ações que foquem o bem-estar e crescimento das pessoas, que busque a formação e desenvolvimento da liderança, bem comunicado e bem acompanhado, certamente facilitará a vida de todos.

LG: Como deve ser feito o planejamento?

Marco Fabossi: O primeiro passo do planejamento de recursos humanos é o levantamento de necessidades, mas não apenas do ponto de vista de RH. É preciso conversar com cada área, conhecer seus planos para o ano seguinte, e discutir sobre quais serão os recursos humanos necessários para atingir os resultados esperados e o orçamento disponível. Em seguida juntar a equipe, trazer as necessidades para a mesa, e discutir as possibilidades, e “arredondar” uma proposta com a área de negócio. É preciso também estabelecer métricas que possam ajudar no acompanhamento e avaliação durante a execução do planejamento. É muito importante que a área de Recursos Humanos se posicione como um parceiro das áreas de negócio, e que o planejamento seja construído a quatro mãos. Tanto o planejamento quanto a execução não podem ser unilaterais, já que a responsabilidade pelo desenvolvimento e bem-estar das pessoas está nãos mãos de Recursos Humanos e do Líder de cada área. É preciso que trabalhem juntos tanto no planejamento, quanto na execução.

LG: Quais dados é preciso avaliar e pesar na hora de planejar?

Marco Fabossi: Cito quatro pontos principais:

  • Objetivos: Quais são os objetivos a serem alcançados? Onde queremos chegar?
  • Alinhamento: Os objetivos estão alinhados com a estratégia de negócios e com os valores da empresa?
  • Orçamento: Qual é o valor disponível para este trabalho?
  • Recursos: Que outros recursos serão necessários para a execução do planejamento?

LG: Como garantir a execução do plano durante o ano seguinte?

Marco Fabossi: Como comentei anteriormente, é preciso estabelecer métricas. Sem elas fica muito difícil acompanhar a execução do plano. O estabelecimento de avaliações mensais é uma forma básica de acompanhamento, que pode ter periodicidade alterada de acordo com a necessidade. Obviamente isso não garante o sucesso do plano, porque isso depende do empenho e compromisso de todos: RH, área de negócios a empresa.

LG: A área de RH e consequentemente as ações que precisam ser desenvolvidas são muito específicas de acordo com o quadro de funcionários de cada empresa. Mas o que todo gestor de RH deve levar em conta na hora de planejar suas ações para 2011?

Marco Fabossi: Posicionar-se como parceiro das áreas de negócios, discutir com o líder de cada área os objetivos para 2011, quais são as competências necessárias para atingi-los, verificar o orçamento disponível, construir o planejamento juntamente com cada área, e estabelecer as responsabilidades de cada lado no processo.

LG: A retenção e atração de talentos é algo que preocupou muito durante todo esse ano de deve seguir como prioridade em 2011. O que você sugere como ações nessa área?

Marco Fabossi: Minha resposta talvez vá um pouco na contramão do que tenho visto normalmente, mas em minha opinião não são os benefícios ou salários apenas que motivam e retêm os talentos. Sem dúvida, a falta deles desmotiva, mas não são eles os principais impulsionadores de motivação que ajudam a reter os talentos. Em pesquisa realizada recentemente pela Right Management com cerca de 30 mil pessoas em 15 países, podemos conhecer abaixo os oito principais fatores de motivação:

  • Comprometimento com os valores básicos da organização em que trabalha;
  • Valorização dos produtos e serviços pelos clientes;
  • Opiniões levadas em consideração;
  • Entendimento perfeito sobre o trabalho esperado;
  • Contribuição para atender às necessidades dos clientes;
  • Recompensa com justiça;
  • Valorização dos colaboradores por parte dos líderes;
  • Todos são tratados com respeito.

Olhando para o resultado da pesquisa, eu diria que o principal foco do RH deve ser no desenvolvimento e formação de líderes que possam fazer com que estes fatores se estabeleçam no dia a dia. Ao todos são 26 fatores que podem ser conferidos aqui.

LG: Depois de pronto o planejamento, como lidar com projetos inesperados ao longo do ano?

Marco Fabossi: Flexibilidade. É preciso ser flexível porque as surpresas certamente virão, e neste momento o processo se repete. É preciso envolver as áreas de negócios e discutir as prioridades e próximos passos, e caso necessário, fazer ajustes no planejamento original.

LG: Quais os benefícios de um bom planejamento?

Marco Fabossi: Foco, organização e resultados.

Planejamento para 2011Graduado pela FEI, com especialização e MBA pela Fundação Getúlio Vargas Marco Fabossi, é Coach Executivo e Coach de Equipe, certificado pelo ICI (Integrated Coaching Institute) e filiado ao ICF (International Coaching Federation). Também é certificado em Life Coaching pelo Instituto Holos e autor do Livro “Coração de Líder: A Essência do Líder-Coach” (coracaodelider.com.br).