Prepare-se: estrangeiros esquentam disputa por vagas no Brasil

Data 13/06/2012

Foi o que revelou o levantamento feito pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) que aponta que 70.524 mil profissionais estrangeiros foram autorizados a trabalhar no país em 2011. A quantidade de autorizações foi 25,9% maior em relação às 56.006 concedidas em 2010. “Esses profissionais vêm para cá porque sabem que as empresas recrutam trabalhadores de outras nações por causa do déficit de mão de obra qualificada que existe no Brasil”, afirma Márcia Almström, diretora de Recursos Humanos da Manpower Brasil.

Ainda de acordo com a pesquisa, mais da metade das 66 mil autorizações temporárias concedidas em 2011 referiam-se a profissionais com nível superior completo. “Engenheiros, executivos seniores, gerentes, professores e técnicos são os cargos que mais exigem a busca de profissionais além das fronteiras para diminuir a escassez”, diz Márcia.

Mas será que a vinda dos estrangeiros acirra mais a corrida pela melhor oportunidade de trabalho? Segundo Márcia, o profissional brasileiro que tem uma boa qualificação técnica não deve se preocupar muito com os candidatos de outros países, em geral. “As empresas preferem os trabalhadores nacionais porque não precisam se preocupar com a regularização de documentos e muito menos investir na adaptação cultural desses profissionais.”

Disputa acirrada – Quando o assunto são os cargos de liderança, no entanto, a disputa aumenta, como mostra a pesquisa feita pela Manpower que aponta que 40% dos empregadores brasileiros têm mais de um trabalhador expatriado no nível gerencial. “Os profissionais nacionais ganham vantagem nos recrutamentos para esses cargos também, mas é importante expandir o seu conhecimento sobre o comércio global em que atua porque as empresas buscam gerentes que tenham uma visão de mercado internacional para garantir maior competitividade e desenvolvimento para os negócios da companhia”, diz a diretora.  

 

Preparado para a competição – Seja para qualquer área ou nível, a dica é estar preparado para as oportunidades do mercado de trabalho. Segundo Juliano Ballarotti, gerente das áreas de expertise Hays Engineering, Hays Logistics, Hays Procurement e Hays Construction & Property, a primeira recomendação é investir na qualificação técnica para agarrar uma boa oportunidade. “Não se contente apenas com a faculdade ou pós-graduação. Faça cursos complementares na sua área de formação para expandir seus conhecimentos e se destacar no ambiente corporativo.”

 

Fluência em idiomas – Não é mais novidade para ninguém que ter conhecimentos em outras línguas auxilia no desenvolvimento da carreira.  Quando o assunto é concorrência internacional, então, esse requisito tem peso dobrado. “Os estrangeiros que vêm para o Brasil, geralmente, já têm noções intermediárias da Língua Portuguesa. Levando em consideração que esse profissional é fluente no idioma dele, imagina-se que ele sabe se comunicar pelo menos em duas línguas. Portanto, a dica é investir em um idioma até o nível avançado do que estudar um pouco de cada”, diz ele.

Diferencial brasileiro – Já que o povo brasileiro é conhecido pelo jeito comunicativo, receptível e alegre por que não aproveitar essas características para ganhar pontos positivos no ambiente corporativo? “Mostre que você tem competências comportamentais, como por exemplo, capacidade para trabalhar em equipe, otimismo, ética, foco em resultado e assertividade.”

 

Acredite em você – Não pense que não tem chances de concorrer de igual pra igual com um estrangeiro. “No processo seletivo o que conta é o perfil comportamental e não a nacionalidade do profissional. Confiar no seu potencial ajuda, e muito, na disputa por uma vaga”, diz Juliano.
 

 

 

Essa notícia foi publicada no ClickCarreira, em 12/06/2012