Profissionais mais jovens são otimistas com seu futuro, segundo pesquisa

Data 30/11/2015

Os novos profissionais são engajados em trabalhos voluntários, gostam de atividades além da sala de aula e estão otimistas com o futuro, de acordo com pesquisa feita pela consultoria de recrutamento Page Talent com 3.684 jovens brasileiros com idades entre 17 e 26 anos.

A chamada geração Z também é bem instruída, quase um terço já estudou fora do país e fala pelo menos o inglês. Para 72% dos entrevistados, o domínio da língua vai de intermediário a fluente.

Em segundo lugar, vem o espanhol, com 24% com habilidade ao menos intermediária, e, em terceiro, o francês, com 4%.

Assim como sua antecessora Y (os nascidos na década de 1980), a geração Z é pouco fiel aos empregadores.

Entre os entrevistados que fazem estágio, 47% não gostariam de ser efetivados e 34% pretendem continuar na empresa somente até receberem uma nova proposta de outra organização.

O perfil empreendedor é outra semelhança entre as gerações. Segundo estudo da consultoria Universum, 58% dos jovens brasileiros têm interesse em abrir um negócio. Mas estão abaixo da média da América Latina, de 62%.

Tudo o que identificamos na Y é acentuado na Z, afirma Manoela Costa, gerente-executiva da Page Talent.

Uma das razões para isso é a influência da tecnologia: enquanto a geração mais velha viu as novidades surgirem, a mais nova já nasceu na era da internet.

58% dos jovens brasileiros

Desajeitados 

O efeito colateral da familiaridade com a tecnologia é a falta de habilidade para relações pessoais.

Eles estão acostumados com um contato virtual, mais superficial", diz Costa, que avalia que a característica deve gerar problemas.

Ao mesmo tempo, a geração Z é majoritariamente altruísta -64% declaram já ter feito trabalho voluntário.

Eles podem parecer mais egoístas, pelo vínculo fraco com a empresa, mas não são. Eles querem tanto ajudar, se envolver com várias coisas, que a ambição não fica em um lugar só. O problema é que ele não percebe o impacto que ele pode gerar na própria empresa, afirma Costa.

Essa notícia foi publicada no site da Folha de São Paulo, em 29/11/2015

Veja mais: 

As empresas dos sonhos dos jovens

A falta de sintonia entre escolhas, jovens e empresas

Jovem escolhe empresa por oportunidade de crescimento na carreira, revela pesquisa

Compartilhe:

Comentários