Profissionais preferem flexibilidade de trabalho a aumento salarial

Data 06/10/2014

Em muitos casos, a possibilidade de trabalhar parte do tempo em casa tem sido mais atrativa para os profissionais que receber um aumento de salário. Foi isso o que mostrou uma pesquisa realizada pela Unify, empresa de software e serviços de comunicação, com mais de 800 profissionais de todo o mundo em áreas como finanças, marketing, TI, vendas e P&D – é o quarto volume de uma série denominada “New Way to Work” (NW2W).

Dos funcionários entrevistados pelo estudo, mais de 43% preferem um modelo flexível de trabalho a um aumento salarial. É um dado que se relaciona a procedimentos legais, entre ações judiciais e legislações específicas, que em diferentes países têm beneficiado empregados com o direito da flexibilidade no cumprimento das atividades profissionais.

Outro dado chama a atenção na pesquisa da Unify: quase um terço das pessoas consultadas disse que trocaria de emprego em razão da chance de ter horários e local de trabalho flexíveis. Para adotar uma prática desse tipo, as companhias podem permitir que os funcionários trabalhem remotamente de casa alguns dias da semana, ou passar parte do dia na empresa e parte no “home office”.

De acordo com Bill Hurley, CMO (Chief Marketing Officer) da Unify, as empresas que não aderirem à tendência da flexibilidade de trabalho, que passou a se tornar imperativa no mercado pela demanda dos trabalhadores aliada a exigências legais, correrão o risco de perder seus melhores profissionais.

 

Essa notícia foi publicada no site Valor Econômico, em 03/10/2014

Compartilhe:

Comentários