Programa pretende apoiar mulheres atletas em transição de carreira

Data 12/03/2013

A consultoria Ernst & Young lançou nessa segunda-feira (11/03) um programa para apoiar mulheres atletas que deixam a carreira esportiva. A empresa, que é apoiadora dos Jogos Olímpicos Rio 2016, pretende criar uma rede global de lideranças femininas para compartilhar experiências e produzir pesquisas sobre o impacto das mulheres no esporte e na sociedade.

O "Women Athletes Global Leadership Network" será formado por esportistas aposentadas que já fizeram a transição para uma outra carreira de sucesso, atletas ainda em atividade que estejam em busca de oportunidades além do esporte e outras mulheres que queiram apoiar as participantes, como as empreendedoras participantes do programa Winning Women, realizado no Brasil pela primeira vez neste ano. As representantes que farão parte da rede ainda serão nomeadas. Elas se tornarão responsáveis por identificar mais mulheres com potencial para participar do grupo, que deve ser ampliado até a Olimpíada de 2016.

“Queremos construir um ambiente melhor a partir da expansão de oportunidades para lideranças femininas. Com sua inerente confiança, disciplina e experiência com trabalho em equipe, as atletas têm um valor inestimável para negócios, governos e ONGs”, diz a  vice-presidente global de políticas públicas da Ernst & Young, Beth Brooke.

A transição entre a carreira esportiva e o mercado de trabalho também é foco de um programa da multinacional suíça de recursos humanos Adecco, que começou a ser desenvolvido no Brasil no ano passado. Voltada para atletas de ambos os sexos, a iniciativa existe desde 2005 em outras regiões e já ajudou mais de oito mil esportistas, de 120 países. O ACP ("Athletes Career Programme") promove treinamentos e acompanhamentos de carreira, além de trabalhar com empresas para incentivar a contratação de mais esportistas.



*Essa notícia foi publicada no site Valor Econômico, em 11/03/2013

Compartilhe:

Comentários