Programas de trainee têm elevada taxa de efetivação

Data 03/04/2012

 

Ser selecionado para participar de um programa de estágio ou de trainee não é fácil. A concorrência costuma ser acirrada, principalmente quando envolve grandes corporações, mas quem chega lá costuma ser recompensado: boa parte dos trainees é contratada, faz o job rotation para conhecer os vários setores da empresa e, depois, é efetivada como especialista ou analista. Uma das razões para o alto índice de contratação é o árduo processo de seleção ao qual os jovens são submetidos. Os candidatos enfrentam testes, dinâmicas de grupo e entrevistas e, na empresa, passam ainda por treinamentos técnicos e comportamentais.

O número de candidatos a estas vagas é cada vez maior. A Volkswagen do Brasil, cujo programa de trainee começou em 2008, selecionou, em sua edição de 2012, 24 jovens em um universo de 24.179 candidatos – um aumento de 11% em relação às inscrições efetivadas em 2011 .

Na Volkswagen, todos os trainees aprovados no processo seletivo passam a integrar o quadro de colaboradores e após o período de 18 meses do programa – que inclui estágio internacional de três meses, leitura e discussão de livros de negócios e projetos aplicativos – são direcionados para as áreas de atuação. Em geral, 70% ocupam vagas de engenharia e 30% vão para as áreas administrativas.

Para o gerente executivo de Desenvolvimento de RH da Volkswagen, Raimundo Ramos, o sucesso do programa está no atrativo da marca e na necessidade de mão de obra qualificada. “Enxergamos nesses números uma grande identificação da marca Volkswagen perante os jovens talentos, oferecendo ao estudante a oportunidade rica de preparação para o mercado de trabalho, com vivência da rotina de uma empresa”, explica.

Em busca dessa experiência, o ex-trainee João Guilherme do Val Machado, que atualmente é assistente do diretor de vendas da Volks, destaca a possibilidade de interação com as diferentes áreas da companhia, “o que dá a cada um a oportunidade de desenvolver competências multidisciplinares”, comenta. 

Avaliação permanente

Outro programa que vem ganhando espaço é o recrutamento de estagiários, para os jovens que ainda estão na faculdade. Um exemplo é o Jovens Talentos – Novas Soluções da Itautec. Com duração de 12 ou 24 meses, o projeto foi implementado em 2011, quando 58 estagiários participaram e 53 concluíram o programa. Do total de 19 jovens que se formaram no final de 2011, 12 fazem parte da Itautec, ou seja, uma taxa de 63% de efetivações.

A procura aumentou em 2012 e 64 estudantes foram selecionados para participar do programa, entre 4.500 inscritos. O Jovens Talentos – Novas Soluções abrange todas as áreas da companhia: administração, engenharia, supply-chain, marketing, recursos humanos, contabilidade e vendas.

A gestora do programa na Itautec, Ayumi Larissa Haguihara, explica que o estudante é permanentemente observado. “O candidato só não é efetivado se seu desempenho for muito ruim durante o programa, o que não prevaleceu na edição de 2011”, destaca.

Na Itautec, o estagiário passa por três dias de integração. No primeiro, conhece a história da empresa; no segundo, recebe treinamento sobre postura profissional; e, no último dia, visita a fábrica em Jundiaí e conhece os outros estagiários que trabalham na companhia. Alex Bravim, estagiário da diretoria de marketing e comunicação, que está há um ano na empresa, diz que escolheu a Itautec pela preocupação com a capacitação. “O que mais me interessa no momento é essa questão da minha formação”, diz ele.


Essa notícia foi publicada no Canal RH, em 26/03/12.