Quem você não pode liderar

Data 23/10/2012

*Por Silvio Celestino

Bons líderes formam bons líderes, não seguidores. Para que isso ocorra a capacidade de selecionar profissionais que, no futuro, se transformem em líderes é fundamental. É impossível desenvolver pessoas que não querem aprender, ou que não são treináveis. Empresas e líderes, por vezes, exageram e chegam ao paternalismo ao insistirem com empregados que não apresentam a menor condição de serem aprimorados. Manter alguém que não se desenvolve na empresa gera desmotivação aos demais e questionamento sobre os critérios de seleção e promoção da companhia.

Existem muitos aspectos a se observar para descobrir se alguém pode ser liderado, ou não. Vou mencionar três tipos de profissionais que não podem ser liderados e, portanto, difíceis de serem desenvolvidos a contento, ou na velocidade requerida para os negócios. Diga-se de passagem são os mesmos tipos que, também, não podem participar de processos de coaching.

Pessoas que não se responsabilizam pelo resultado de suas ações

Esses profissionais não têm como serem liderados. Uma vez que os resultados empresariais são atingidos por meio de um conjunto de ações, se alguém se recusa a observar sua contribuição para um resultado, não há o que fazer. Portanto, sempre que estiver na presença de alguém que culpa os outros, o contexto, a situação, o azar, o imprevisto, mas, nunca fala sobre qual foi sua responsabilidade por algo indesejável que tenha ocorrido, então provavalmente essa pessoa não é treinável e, portanto, não pode ser liderada.

Pessoas com patologias psicológicas

Líder não é psicólogo. Se você identifica que há alguém em sua equipe com um comportamento que lhe parece anomal, considere como possibilidade que essa pessoa está com algum problema na esfera psicológica. Não deixa de ser espantoso, em pleno século XXI, a quantidade de pessoas que possuem todo tipo de preconceito e opiniões com relação à psicologia. Entretanto, é dessa ciência que obtemos a solução para muitos problemas humanos e que podem se manifestar no ambiente empresarial. Síndrome do pânico, depressão e perfeccionismo são três tipos de patologias que encontramos com frequência no meio empresarial. Um líder deve ter interesse em conhecer quais são as evidências que podem indicar a presença de uma dessas doenças em seus liderados. E influenciá-los, dentro de seus limites, a procurar ajuda de um psicólogo para auxiliá-los a resolver esses problemas. Penso que uma pessoa não é doente quando está com uma doença, mas quando tem um comportamento doentio. Se alguém está com depressão e vai ao psicólogo; ou, ao psiquiatra; então essa pessoa é saudável, pois é o que se espera que alguém saudável faça quando detecta que está com uma doença. Como alerta, estudos mostram que os executivos são 60% mais propensos à síndrome do pânico do que a média da população. Portanto, é fundamental estar atento e conhecer os sintomas dessa patologia em especial.

Pessoas de má índole

Você não tem como liderar alguém que não joga pelas regras do jogo. Portanto, uma competência fundamental de todo líder é observar quais pessoas estão tentando cometer ilícitos, fraudar regras ou obter vantagens indevidas. Nem sempre é muito fácil detectar esses indivíduos. Por vezes, as evidências são claras, mas, na maior parte do tempo, são sutis. Tenho para mim que, quando há alguém azarado demais, por um tempo muito longo, essa pessoa está fazendo algo errado. É normal passarmos por períodos muito difíceis, com problemas financeiros, de saúde, familiares e profissionais ocorrendo simultaneamente. O que é incomum é alguém estar sempre com esses problemas, e a pessoa nunca gerar o resultado esperado. Observamos, no extremo oposto, que indivíduos de boa índole fazem as coisas acontecerem, apesar das dificuldades que passam. Alguns inclusive escondem suas dificuldades para que não sejam percebidas como desculpas. Enfim, não quero parecer duro demais, mas, desconfie do excesso de azar.

Escolher e observar com atenção as pessoas que deseja desenvolver são ações permanentes do líder para assegurar o sucesso seu e da empresa.

Vamos em frente!

 

*Silvio Celestino é Coach de Executivos e foi VP do Chapter São Paulo da Federação Internacional de Coaches. Consultor Organizacional e Senior Partner da Alliance Coaching.