Setembro registra maior número de empregos criados no ano

Data 14/10/2009

 

Dando continuidade à crescente geração de postos formais de trabalho em 2009, após os fortes índices de demissão no final do ano passado, foram criados no mês de setembro 252.617 vagas com carteira assinada. Os dados, divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério do Trablho e Emprego via Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), representam o melhor patamar do ano e o segundo melhor desempenho para os meses de setembro. 

Apenas em setembro do ano passado a geração de postos de trabalho teve patamar mais elevado para este período, com 282.841 vagas formais.

O saldo é resultado de 1.491.580 pessoas admitidas no nono mês de 2009, o maior número do ano, contra 1.238.963 desligadas no mesmo período. 

Nos últimos doze meses, o emprego formal cresceu 0,91%. Desde janeiro de 2003, início do primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foram geradas 8.653.623 vagas formais de emprego.

"Minha opinião pessoal é que vamos gerar mais de 1,1 milhão (de saldo ao final do ano), o que é muito positivo. Vão puxar (a alta) a indústria de transformação, os comércios atacadista e varejista e serviços", disse o ministro do Trabalho, Carlos Lupi. O saldo de janeiro a setembro deste ano está em 932.651 postos formais.

"Acho que o Brasil está tendo no segundo semestre um comportamento muito forte por causa do mercado interno, que continuava forte e foi fundamental para a saída da crise. Minha avaliação é que será um dos melhores outubros da história, se não for o melhor, será o segundo melhor", afirmou o ministro. 

O bom desempenho de setembro foi impulsionado pela indústria de transformação, com saldo positivo de 123.318 postos, o maior de toda a série histórica produzida pelo Ministério do Trabalho. Os setores de serviços, comércio e construção civil obtiveram resultados positivos no período, com saldos de 62.768, 50.301 e 32.667 postos de trabalho formais, respectivamente. 

As áreas da administração pública e de extrativismo mineral completam os setores com performances favoráveis em setembro, com altas de 1.534 e 1.136 vagas, respectivamente.

Em sentido contrário e justificado pela entressafra no Centro-Sul do País, o setor agropecuário teve saldo negativo de 17.064. Em todo caso, o Caged de setembro aponta que o mês representou o primeiro resultado positivo em todos os setores no acumulado do ano.

Ao comentar, com base nos índices de emprego, as perspectivas de crescimento econômico para o ano, Carlos Lupi disse esperar crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 3% no terceiro trimestre e patamar final de 2% no ano. 

"Minha avaliação é que no terceiro trimestre teremos crescimento do Produto Interno Bruto de mais de 3% pelo comportamento do emprego. Faço cálculos com região, setor e comportamento do emprego. Se cresce o emprego, é sinal de que a empresa está crescendo. Para o ano acredito em um PIB de 2%", afirmou.

Essa notícia foi publicada no Invertia, em 14/10/2009

Comentários