Trabalho em excesso não é produtivo como prega a maioria das empresas

Data 05/03/2014

Você pode ser o tipo de pessoa que é disposta a trabalhar duro fazer o que for preciso se a situação exigir. Mas a verdade é que há uma epidemia de falsa urgência em muitas empresas.

Os empregadores que criam uma cultura workaholics têm medo de não manter-se, não crescer o suficiente, não construir bons produtos. Um líder que trabalha ao máximo cria expectativas (muitas vezes inconscientemente) de que todo mundo deveria fazer o mesmo.

A questão é não deixar o trabalho dominar sua vida. O excesso de trabalho leva a copiar ideias de produtos, políticas desagradáveis, alta rotatividade de funcionários, e outras coisas.

Você pode pensar que, para que seus funcionários façam grandes coisas, eles deveriam trabalhar por muitas horas, mas isso não é necessário. 40 horas por semana é muito. Mesmo que alguém durma 8 horas por noite e trabalhe 40 horas, ainda estará dedicando metade da vida para o trabalho.

Se você utilizar esse tempo de forma eficiente, poderá fazer muita coisa. As pessoas que estão bem descansadas e felizes têm um segredo: foco. São capazes de lidar com conflito , resolver situações difíceis, ter grandes ideias, aprender rapidamente e ser eficiente.

Trabalhando sem cessar não é bom para a inovação. O descanso é necessário para o surgimento de novas ideias.

 

*Essa notícia foi publicada no site Forbes Brasil, em 01/03/2014

Comentários