Um terço dos brasileiros já sofreu cyberbullying no trabalho

Data 30/09/2013

O ato de difamar pessoas por e-mail, mídias sociais ou mensagens instantâneas, conhecido atualmente como cyberbullying, já afetou pelo menos 30% dos profissionais brasileiros durante o expediente de trabalho.

A pesquisa, coordenada pela AVG Technologies, empresa de TI, que ouviu 500 pessoas, aponta que mais da metade delas (54%) acredita que a organização é responsável pelo comportamento online de seus funcionários, em seus perfis pessoais na mídia social, enquanto estão em horário de expediente. Já 90% das pessoas acreditam que a companhia não é responsável pelo comportamento das pessoas quando não estão em horário de trabalho.

Quanto às atitudes para combater o cyberbullying, 58% dos entrevistados entrariam em contato com algum superior, como chefe, gerente ou profissional de recursos humanos, para informar o ocorrido. Outros 60% também tomariam esta atitude, inclusive se as ofensas viessem do chefe.

"O estudo é um alerta para as empresas, que precisam adotar urgentemente políticas de uso da internet, orientar os funcionários sobre boas práticas nas redes sociais e promover discussões abertas com seus colaboradores sobre ética nas comunicações online", orienta Mariano Sumrell, diretor de Marketing da AVG Brasil.

 


*Essa notícia foi publicada no site Você RH, em 25/09/2013

Comentários