Universidade corporativa é alternativa para reter talentos

Data 08/12/2014

A alta rotatividade no varejo tem levado muitas redes a investir em universidades corporativas. Além de profissionalizar e qualificar os funcionários a medida visa aumentar o tempo de permanência dos colaboradores na companhia.

Anualmente, quase 50% dos funcionários do comércio varejista trocam de emprego, de acordo com o site de recrutamento norte-americano Carrerbuilder. O que antes era uma segunda opção de carreira, agora o segmento vem se consolidando como uma escolha para muitos profissionais, que precisam de capacitação para atender os desejos do consumidor, cada vez mais exigente quando o assunto é atendimento e decisão de compra.

"O Brasil é recordista em construções de shopping centers no mundo. Além disso, o varejo cresce até quatro vezes mais que a própria economia do País o que exige um número grande de profissionais capacitados", afirma o sócio diretor da consultoria BG&H, Marcos Hirai.

Mesmo assim, a falta de mão de obra especializada ainda é um dos grandes entraves das companhias que querem investir no País, segundo o especialista. Tanto que o número de empresas que têm investido em universidades corporativas, assim como em cursos voltados para categoria, devem crescer nos próximos anos. "Essa é uma tendência do mercado e o funcionário acaba criando um vínculo com a companhia."

Considerado um investimento de baixo custo – quando comparado aos altos preços dos MBAs cobrados pelas principais instituições de ensino privadas do Brasil – uma das principais vantagens das universidades corporativas é a possibilidade de as companhias moldarem a grade curricular de acordo com suas necessidades.

"Barrar o contato do funcionário com profissionais de outras empresas é outro fator que tem levado as companhias a investir neste modelo de negócio. Nas universidades tradicionais, você tem o networking entre estudantes", lembra o especialista.

Varejo em expansão

Atenta à demanda do setor, a BG&H, em parceria com a Universidade Mackenzie, irá lançar o primeiro curso de MBA em expansão no varejo. Voltado para profissionais que ocupam cargo de gerência ou coordenação há pelo menos três anos, 50% do corpo docente será composto por executivos de grandes companhias como Riachuelo, Bob′s,Starbucks, HSBC e Burguer King.

Com a primeira turma prevista para março de 2015 e duração de um ano e sete meses, o valor total do curso é de R$ 36,5 mil . "Não existe nenhum curso parecido no mercado, inclusive nos Estados Unidos e Europa", conta Marcos Hirai, que fará parte da coordenação do curso.

No mercado há 17 anos, o Mc Donald′s University – que está ligada à área de treinamento da Arcos Dourados – é uma das universidades corporativas mais antigas do País. Localizada em Alphaville, na Região Metropolitana de São Paulo, a escola recebe alunos de mais de 20 países. "Temos universidades em sete países, sendo que a do Brasil atende toda a América Latina", destaca a diretora de treinamento para América Latina e responsável pela universidade, íris Barbosa.

Com pelo menos 18 cursos presenciais, além de outros 50 virtuais, a executiva diz que identificar as lacunas da companhia e capacitar os funcionários para a liderança está entre os objetivos. "Somos formadores de mão de obra, não buscamos pessoas prontas", destaca. Hoje, o McDonald′s é a porta de entrada para jovens que buscam o primeiro emprego.

Criada para oferecer qualificação específica, desde a utilização dos equipamentos até a gestão dos negócios, todos os franqueados, diretores e presidentes da rede na América Latina passam pela instituição. Anualmente mais de 15 mil pessoas passam pela universidade.

Atacadista

Lançada no ano passado, a Universidade Assaí, que pertence ao Grupo Pão de Açúcar (GPA), é outra instituição que foi criada para capacitar os colaboradores no segmento atacadista. Com cinco escolas no portfólio (atacado, liderança, comercial, operações e desenvolvimento), os cursos contam com palestras de profissionais da área que explicam como funciona o mercado.

"Esse é um novo segmento, sem profissionais com conhecimento no setor", disse a diretora de RH do Assaí, Sandra Vicari.

Sem uma unidade física, os cursos da instituição são ministrados nas próprias lojas da rede. Contudo, o canal formal ainda é o virtual. Hoje a companhia conta com 81 unidades em 13 estados. "Temos uma equipe que desenvolve o material e capacita multiplicadores", diz.

Com um programa de graduação no portfólio, voltado para os gerentes, o curso de tecnólogo em processos gerenciais é oferecido em parceria com a Universidade Anhembi Morumbi e conta com 62 alunos na turma em andamento. "80% do valor do curso é custeado pela companhia", ressalta Sandra. Este ano, 14 mil funcionários passaram pela universidade

Empreendedorismo

Localizada em São Paulo, a Universidade Corporativa do Sebrae é outra escola que atua nesse tipo de formação para empresários. Novata, a instituição conta com 450 alunos, mas tem capacidade para atender até 1,5 mil empreendedores.

Gratuita, a universidade possui um vestibular concorrido, como informa a consultora do Sebrae-SP, Mirza Rosas Augusto Laranja. "Ensinamos o conteúdo a partir da prática. Temos desde cursos técnicos, modulares e de graduação", acrescenta.

Procurado por pessoas já graduadas, a universidade foi criada para atender empreendedores que buscam formação para gerir ou estruturar o negócio. "O curso de gestão de negócios e inovação é um dos mais procurado na instituição", finaliza.

 

Essa notícia foi publicada no site Diário do Comércio, Indústria e Serviços (DCI), em 05/12/2014

Comentários