Valores como fator de sucesso

Data 24/04/2012

Em geral, afirmou John Davis durante a palestra “The rise and fall of Family Wealth”, realizada na manhã desta terça-feira, 17 de abril, predomina o ditado: “Pai rico, filho nobre, neto pobre”. Em diversos formatos, muitas culturas têm ditados que afirmam o mesmo.

Dessa forma, Davis salientou a necessidade de as empresas familiares gerenciarem o crescimento da riqueza ao longo das gerações, com consciência das vantagens que o dinheiro traz, mas também dos problemas que vêm com a riqueza.

Estabilidade inexistente
Considerando o aspecto monetário, Davis disse que a estabilidade não se mantém. Ou cresce ou declina. Há, no entanto, características entre empresas que aumentam o patrimônio. Para listar os atributos, Davis tomou como base a lista da revista Forbes das empresas mais ricas.

Entre 1982 e 1989, havia cerca de 300 empresas familiares na lista. Atualmente, apenas 100 delas se mantêm. A primeira constatação quanto aos fatores de sucesso diz respeito aos investimentos. Foi preciso obter rendimentos médios de cerca de 6% ao ano. “A média é impressionante”, opinou o palestrante.

Segundo Davis, o que costuma acontecer é essas empresas registrarem crescimento exponencial na primeira e na segunda gerações. Na terceira, o desempenho passa a ser, em geral, menos consistente ou até decrescente.

Gerenciamento de expectativas e valores
O natural é que haja aumento das expectativas de conforto, riqueza e status, comentou Davis. Assim, é essencial administrar a relação entre indivíduos e o dinheiro. “O problema é quando essa expectativa se torna a razão de ser. Quando o sujeito começa a pensar em si mesmo como alguém rico, começamos a ter problemas”, alertou.

A dica é para que os sucessores sejam preparados, desde a infância, para entenderem a si próprios como pessoas criativas. “Quando um objetivo move a pessoa, a riqueza se torna facilitadora”, constatou.
Essa também é característica do que Davis chama de “indivíduos geradores de riqueza” – ou seja, aqueles que, mais do que apenas trabalhar para manter a empresa, desenvolvem novos caminhos. Logo, quanto mais geradores de riqueza, maiores as chances de sucesso.

Essa postura é útil, acredita Davis, para indivíduos e empreendedores, pois contraria outra tendência: a aversão ao risco. “É preciso vislumbrar possibilidade de continuar a aumentar o patrimônio”, destacou, assegurando que, sem assumir riscos e diversificar as frentes de atuação e investimento, , é impossível alcançar o rendimento para crescer.

Além disso, é essencial manter sob rígido controle os gastos da família. Nesse ponto, o palestrante citou a importância dos valores pessoais no consumo, com a sugestão de manter o nível de consumo num patamar abaixo das reais possibilidades da família.

 

Essa notícia foi publicada no Portal HSM, em 17/04/12.


 

 

Comentários