Voar alto: um trabalho em equipe

Data 26/01/2015

*Por Marco Fabossi

Ao emigrar em busca de lugares mais quentes os gansos voam na típica formação em “V”, porque quando um ganso bate as asas cria um vácuo para quem vem atrás dele. Por isso, voando em formação em “V”, o desempenho do bando é 71% melhor do que se cada um voasse sozinho.

Sempre que um ganso deixa a formação, sente imediatamente a resistência por tentar voar sozinho e, rapidamente, retorna à formação, aproveitando assim o vácuo criado pela ave imediatamente à sua frente.

Quando o ganso líder se cansa, vai para a parte de trás da formação e imediatamente outro ganso assume a liderança, ocupando a ponta da formação. Os gansos de trás grasnam para encorajar os da frente a aumentar a velocidade.

Finalmente, quando um ganso adoece ou se fere, e deixa o grupo, dois gansos também saem da formação e o seguem para ajudá-lo e protegê-lo. Eles ficam com ele até que seja capaz de voar novamente, e só então começam uma nova formação ou partem em busca de seu grupo.

Temos muito a aprender com os gansos!

– Quando existe uma direção clara, objetivos definidos, metas estabelecidas, boa comunicação e, principalmente, compromisso, colaboração, confiança e senso de comunidade, é mais fácil e rápido chegar ao destino. Quando todos colaboram com o resultado e uns com os outros, a jornada se torna muito mais prazerosa!

– Ao permanecermos alinhados e unidos no mesmo objetivo, estaremos mais dispostos a aceitar ajuda, assim como oferecer a nossa ajuda aos que precisam. A força, a sinergia, o poder e a segurança aumentam quando seguimos na mesma direção daqueles com quem compartilhamos objetivos e expectativas, potencializando naturalmente o alcance das metas estabelecidas.

– A chefia é uma posição, mas a liderança é situacional. Todos na equipe podem e devem assumir a liderança de projetos, assuntos, temas ou trabalhos específicos, ajudando a amenizar um pouco da sobrecarga natural que existe sobre o líder formal da equipe, e como consequência, fortalecendo-se para assumir uma futura liderança dentro da organização.

– É preciso incentivar, motivar e encorajar o progresso e também reconhecer as conquistas; palavras de ânimo, de alento e de reconhecimento ajudam a aumentar a autoconfiança das pessoas e as impulsionam em direção ao objetivo, apesar das dificuldades.

Em uma equipe, todos estão suscetíveis a momentos de dificuldade e, se estiverem realmente dispostos a conquistar algo juntos, precisarão apoiar-se e ajudar-se mutuamente.

Por isso, se compartilharmos de objetivos claramente definidos, se mantivermos o espírito de equipe, se ajudarmos uns aos outros, se respeitarmos as diferenças, se entendermos o verdadeiro valor da amizade, se nos conscientizarmos do sentimento de partilha, a vida será muito mais simples, trabalhar em equipe se tornará muito mais prazeroso, e os sonhos, metas e objetivos serão mais facilmente alcançados!

E então, vamos voar?
 

*Marco Fabossi é graduado pela FEI, com especialização e MBA pela Fundação Getúlio Vargas. Coach Executivo e Coach de Equipe, certificado pelo ICI (Integrated Coaching Institute), filiado ao ICF (International Coaching Federation). Possui certificado em Life Coaching pelo Instituto Holos e também é autor do Livro "Coração de Líder: A Essência do Líder-Coach".

Comentários